sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Convite


Turismo religioso ao serviço dos mais pobres – Por Francisco Pedro


Operadora turística das Filipinas considera fundamental que o turismo religioso crie programas que tenham em conta e ajudem as comunidades locais, em especial as mais desfavorecidas.

O turismo religioso “representa um grande negócio, está numa fase de crescimento brutal”, mas falta ainda colocá-lo “ao serviço das comunidades, especialmente as mais pobres”, como tem defendido o Papa Francisco, alertou esta sexta-feira, 26 de Fevereiro, a representante filipina da APP Tours, durante a sua intervenção no IV Workshop Internacional de Turismo Religioso, que decorre em Fátima.

“Não podemos cingir-nos apenas ao negócio, a pensar apenas no lucro e em quanto o turista gasta por dia ou por mês, temos que pensar também em criar programas que coloquem o turismo religioso ao serviço das comunidades”, promovendo, por exemplo, "visitas aos locais religiosos, mas também aos locais mais desfavorecidos", disse Guillermina Tapia Gabor.

Para a operadora filipina, “não pode haver sustentabilidade sem espiritualidade”, pois o resultado de uma viagem não são só as fotografias e os filmes, mas essencialmente “o que levamos dentro de nós quando regressamos a casa: a experiência emocional”.

Anne Breslin, da Great Experiences, que organiza peregrinações a partir dos Estados Unidos da América, não só partilhou desta opinião como a reforçou. 

“Um peregrino é uma pessoa que procura uma experiência espiritual, que pretende uma viagem emocional onde tenha a oportunidade de sentir e experimentar a compaixão de Deus”.


Segundo a empresária, o turismo religioso é “o melhor nicho de mercado” no setor do Turismo, e Portugal “é um exemplo extraordinário” disso mesmo, pela capacidade de oferta, não só para o turismo católico, mas também para o judaico ou islâmico. 

“Portugal tem uma tamanha riqueza religiosa, histórica e cultural, que pode atrair turistas de várias religiões e até abrir portas para os países mais próximos”, concluiu Anne Breslin.




Festa do Divino Espírito Santo


Museu de Arte Sacra traz, mais uma vez, uma apresentação da famosa "Festa do Divino Espírito Santo de Mogi das Cruzes", que virá sobre o tema:

 "Divino Espírito Santo, Derramai Sobre as Famílias a Graça da Misericórdia"

Quando: 
27/02 (sábado) 

Horário: 
10h às 15h

Local: 
Museu de Arte Sacra de São Paulo

Endereço: 
Av. Tiradentes, 676 - Luz | Metrô Tirandentes

Estacionamento gratuito: 
Rua Jorge Miranda, 43
Evento gratuito


Roteiro da apresentação

Período da manhã
Abertura às 10h
Apresentação do grupo folclórico
Folia – Orquestra da Viola
Apresentação de vídeos da festa

Período da tarde:

14h: exposição de peças do Museu do Divino Espirito Santo de Mogi das Cruzes, das 
Bandeiras dos Festeiros

Encerramento: 

levantamento do Mastro - Distribuição do RosaSol
Apresentação do grupo folclórico
Visita monitorada ao Museu

Durante o evento será oferecido, gratuitamente, o “café caipira”.

Festeiros: Sergio Braz e Mônica de Souza Mello
Capitães de Mastro: Ciro Fuji e Helena Kiolo Mori Fuji