quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Convite

O Programa de Pós-graduação em Ciências da Religião da UMESP, com apoio do Grupo de Estudos de Protestantismo e Pentecostalismo (GEPP) – PUC/SP do curso de Teologia da Faculdade Unida de Vitória e da Faculdade Refidim de Joinville, promove o:

3º Seminário Internacional Pentecostais, Teologia e Ciências da Religião



Que acontece entre os dias 17 e 19 de agosto, das 9 às 18h, no campus Rudge Ramos.

Nesta edição o tema central será:

“Participação e Contribuição das Mulheres no Movimento Pentecostalismo, Ontem e Hoje – Limitações, Oportunidades e Possibilidades”

E tem como objetivo colocar em debate o papel preponderante das mulheres na emergência, expansão e consolidação do movimento pentecostal em suas diferentes manifestações, desde o seu início até os dias de hoje.

O Seminário contará com palestras de professores da Metodista e de docentes de instituições do exterior, como a professora doutora Melissa Archer, da Southeastern University, e Cheryl Bridges Johns, docente de Discipulado e Formação Cristã no Seminário Teológico Pentecostal da Igreja de Deus, em Cleveland, Tennessee.

Interessados em apresentar suas pesquisas devem enviá-las às coordenações dos grupos de trabalho até o dia 5 de Agosto de 2016. Já para se inscrever como participante do evento é necessário preencher o formulário até dia 5 de Agosto. 

Participantes que desejam receber certificado de participação deverão pagar uma taxa no valor de R$50.

3º Seminário Internacional Pentecostais

Data: 
17, 18 e 19 de Agosto de 2016

Tema: 
Participação e Contribuição das Mulheres no Movimento Pentecostalismo, Ontem e Hoje – Limitações, Oportunidades e Possibilidades

Horário: 
9 às 18h

Local: 
Campus Rudge Ramos







quarta-feira, 10 de agosto de 2016

A Religiosidade brasileira e a filosofia


A religião e a filosofia têm uma longa história de amizade e de antagonismo mútuos. 

Uma história que podemos buscar muito antes do Cristianismo tornar-se a religião da maioria dos ocidentais.

Lembramos que é entre os séculos VI e o IV a. C., na Grécia, que vimos surgir um tipo de discurso, uma conversação pública, que passou a ser chamada de filosofia, da amizade dos sábios, da amizade pela sabedoria. 

Há de se sublinhar que tal discurso não estava plenamente desapegado da Religião da Cidade.

Porém, são os últimos dois mil anos, aproximadamente, que esta intricada relação se torna próxima e instigante para muitos de nós, de maneiras distintas daquelas dos gregos.



domingo, 7 de agosto de 2016

Indicação


O livro de Fábio Bento é uma importante contribuição à compreensão de um dos mais relevantes movimentos revolucionários na história da América Latina: as insurreições populares na Nicarágua e El Salvador.


A singularidade destes movimentos decorre do seguinte: é a primeira vez, desde a Queda da Bastilha, em 1789, que um processo revolucionário conta com a participação massiva dos cristãos, inclusive na direção da luta.

Um acontecimento destas proporções exige uma reflexão renovada sobre o que significa “religião”, sua relação com a luta de classes, e, de forma mais específica, o que mudou com o aparecimento da Teologia da Libertação, questões discutidas, de forma muito esclarecedora, no primeiro capítulo do livro.

Aparece aqui uma forma de religião que, longe de ser um “ópio do povo”, atua como um toque de sinos que desperta o povo para a luta.

Para muitos marxistas, entre os quais o autor deste prefácio, os movimentos revolucionários da América Central foram o principal incentivo para uma reavaliação da concepção materialista histórica da religião. (Michael Löwy)

Sumário:

Capítulo 1: Concepções norteadoras da pesquisa;
Capítulo 2: Religião e revolução na Nicarágua e El Salvador;
Capítulo 3: Revisão de um equívoco.

Características:

Autor: Fábio Régio Bento
Editora: Paco Editorial
Edição: 1ª Edição
Área: Sociologia
Idioma: Português
Ano de Publicação: 2016
Número de Páginas: 100




segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Lançamento


Como levar conforto espiritual, compartilhar amor, estimular paciência, perseverança e fé num ambiente tão complexo como os hospitais, aproveitando ao máximo a oportunidade? 


Além dos aspectos eminentemente burocráticos da visitação, o livro “Capelania Espírita”, editada pela Associação Médico Espírita do Espírito Santo, e organizada pelo médico ginecologista e obstetra Paulo Batistuta, procura apresentar o olhar médico, psicológico e espírita do adoecimento, oportunizando uma melhor compreensão dos fenômenos saúde, doença e cura.

Escrito numa linguagem direta e descomplicada por 35 colaboradores de várias cidades brasileiras, traz experiências práticas para otimizar o trabalho de Capelania Hospitalar. Enfoca ainda situações particulares, como as que evolvem pessoas apenadas, portadoras de necessidades especiais ou com ideação suicida, dentre outras, além de abordar aspectos do luto.

A obra contempla aqueles que desejam iniciar nessa tarefa, bem como permite reciclar os que já se dedicam a área. O livro está à venda pelo site da Associação Médico-Espírita do Brasil (http://lojaamasil.commercesuite.com.br) e em breve estará nas livrarias de casas espíritas.