quarta-feira, 22 de junho de 2016

500 anos de protestantismo – Por Teobaldo Witter


Por certo, em muitos lugares no Brasil e na maioria dos países, está acontecendo um movimento chamado 500 dias para os 500 anos. 


Por exemplo, na BR116, São Leopoldo, RS, foi colocado o relógio que fará a contagem regressiva dos 500 dias para os 500 anos da Reforma Luterana. O marco está próximo ao viaduto da rodoviária, no Marco Zero da Rota Romântica. 

Entende-se que no dia 18 de junho de 2016 inicia a contagem de 500 dias para os 500 anos da Reforma Protestante, que será celebrado no dia 31 de outubro de 2017.

No século XVI, foi constituído, na Europa, um movimento cultural chamado Renascimento. Foi uma época de transição entre a Idade Media e Idade Moderna. Seu impacto foi fortemente percebido na Itália, França, Inglaterra, Alemanha, Espanha, Portugal e outros países. 

Você conhece o famoso quadro de Leonardo da Vinci? Já ouviu falar da capela Sistina, que foi pintada por Michelangelo? Assistiu ao filme Romeu e Julieta, ou leu os dramas de Hamlet, de Shakespeare? Se deu conta da época das longas navegações de travessia dos oceanos? 

Grandes mudanças foram realizadas. Nesta época, acontecem vários movimentos. Um deles é chamado de movimento religioso do Protestantismo.

O termo protestante vem do documento formal de protesto - Protestatio - que os luteranos apresentaram em uma assembleia em 1529, na chamada de Dieta de Spira. 

O movimento da reforma foi convocado pelo imperador Carlos V, com apoio dos príncipes, para a deliberação de acusação de heresia e proscrição do movimento luterano. 

Os luteranos protestaram, negando a heresia. E, no dia 24 de junho de 1530, apresentaram as teses de sua fé, conforme o documento chamado Confissão de Augsburgo, na Alemanha. Como o protesto se popularizou, os evangélicos luteranos foram identificados como os protestantes.

Ainda sobre o período Renascentista, é fato que foi um grande furacão de ideias que veio a Europa. Atingiu em cheio, a vida e os valores do ocidente, na arte, na cultura, na linguagem, na economia, na psicologia, na filosofia, a antropologia. O ser humano passou a ser a medida de muitas coisas.

A Reforma Luterana Protestante é apenas um destes movimentos da época. Mas é importante. Em termos práticos, a igreja se posicionou contra a venda das indulgências, e a favor da salvação por Fé e Graça. 

Introduziu em suas comunidades a educação pública e universal, o ensino das línguas, do direito e da história. Traduziu a bíblia do latim para a língua do povo para que todos pudessem lê-la e dar a sua opinião.

A Igreja Protestante Luterana, profundamente ecumênica, está presente em todos os municípios do Brasil. Entende que os membros dão o testemunho cristão através dos seus dons que receberam de Deus. 

Estão vivendo e atuando nas esferas públicas, sistêmicas e no mundo da vida. Estão presentes, também, na política, mas, por uma questão de consciência, tem atuação discreta e firme, pois, não se identificam com as bancadas evangélicas, apesar de serem, também, evangélicos.

* Teobaldo Witter, pastor na Igreja Evangélica de Confissão Luterana e professor.