terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Textos religiosos raros do Vaticano e de Oxford são disponibilizados na internet

Alguns dos textos religiosos mais raros e frágeis do mundo foram digitalizados e estão disponíveis ao público pela primeira vez. 

Em parceria, as bibliotecas do Vaticano e de Bodleiana, da Universidade de Oxford, uma das mais antigas da Europa, abriram seus arquivos milenares, que incluem manuscritos gregos, hebraicos e o primeiro livro impresso: a Bíblia de Gutemberg, de 1455.

O projeto de £ 2 milhões (cerca de R$ 7,5 milhões) foi anunciado ano passado e deve durar ainda mais três anos. A coleção on-line, em inglês e italiano, que terá 1,5 milhão de arquivos, também inclui bíblias gregas ilustradas do século XI e alemãs do século XV, além de xilogravuras coloridas a mão. Manuscritos gregos de Platão, Homero e Sófocles serão incluídos em breve.

Os arquivos de textos e imagens em alta resolução podem ser aproximados para leitura e pesquisa.

Queremos que todos vejam estes manuscritos, grandes trabalhos da humanidade, comentou o monsenhor Cesare Pasini, prefeito da Biblioteca do Vaticano, à Associated Press, numa entrevista nesta terça-feira. E queremos conservá-los.

A biblioteca do Vaticano foi fundada em 1451 pelo Papa Nicolau V para a “conveniência comum dos sábios” e mantém 180 mil manuscritos, 1,6 milhão de livros e 150 mil impressões, desenhos e gravuras. Enquanto que a Bodleiana abriu as portas para estudantes em 1602, 

mas incorporou a biblioteca do Duque de Humfrey, de 1488, incluindo coleções dessa época. Ela é a maior do Reino Unido, com mais de 11 milhões de impressões.


As duas bibliotecas abrigam material originalmente da mesma coleção, e até volumes iguais. O projeto prevê, portanto, reunir trabalhos separados por séculos.



Nenhum comentário: