quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Salvador e Cachoeira têm 1ª Mostra de Cinema de Santo e o acesso é gratuito

Acontece entre os dias 7 e 13 de fevereiro em Cachoeira e entre os dias 14 e 19 de fevereiro em Salvador a 

1ª Mostra Cinema de Santo

O evento gratuito é dedicado às religiões afro-brasileiras e de matriz africana, realizada pela Funceb - Secult/Bahia em parceria com a Ginja Filmes e vai exibir em torno de 40 filmes de longa, média e curta-metragem em Cachoeira no Auditório da UFRB e em Salvador na Sala Walter da Silveira, DIMAS - Biblioteca dos Barris.

O projeto contempla uma Mostra retrospectiva de filmes, Mesas de debate, Exposição de cartazes dos filmes em exibição e um Catálogo distribuído gratuitamente, além de traçar um panorama histórico de filmes   brasileiros em diálogo com as religiões afro-brasileiras e de matriz africana.

1ª Mostra Cinema de Santo  procura reunir a diversidade do trânsito formal de elementos já ocorrido entre estas religiões e nosso cinema, buscando chamar a atenção novamente às possibilidades de um cinema brasileiro inspirado nas poéticas e representações da umbanda e do candomblé.

Serão programas compostos por longas, médias e curtas-metragens, exibidos durante os 13 dias do evento. Entre o filmes exibidos na 1ª Mostra Cinema de Santo  estão O Amuleto  de Ogum  (1975), de Nelson Pereira dos  Santos; Anjo Negro  (1972),  de José Umberto Dias; As Aventuras Amorosas de um Padeiro  (1961), de Waldyr Onofre;  Copacabana, Mon Amour (1973), de Rogério Sganzerla; Cordão  de Ouro (1977), de Antônio Carlos Fontoura;  Egungun  (1982),  de Carlos Blajsblat; O Fio da Memória (1989), de Eduardo Coutinho; O Fim da Picada  (2009), de Christian Saghaard; A Cidade das Mulheres  (2005),  de  Lázaro Faria; Jardim das Folhas Sagradas (2010), de Pola Ribeiro; Devoção (2008), de Sérgio Sanz, entre outros.

Estreias de curtas

Para além da retrospectiva histórica o evento possui como destaque a  estreia mundial dos filmes de curta-metragem: “Bodas de Aruanda”, de Chico Sales, e “Iemanjá do Rio Vermelho” de Pablo Pablo e do longa “Umbanda do Sol e da Lua”, além da estreia na Bahia do curta-metragem “Manifesto Makumbacyber”, de Beto Brant e do longa “Hùndàngbènã – O ninho da serpente”, de Mazé Mixo. 

Haverá ainda a participação do cineasta Nelson Pereira dos Santos, num debate após a exibição de seu filme “O Amuleto de Ogum”, na terça-feira, dia 18 de fevereiro na Sala Walter da Silveira de Salvador.

As mesas de debate propõem uma discussão aprofundada das problemáticas presentes na representação cinematográfica das religiões afro-brasileiras, levando em consideração aspectos éticos, políticos, estéticos, espirituais e religiosos a partir de uma perspectiva histórica. 

As mesas serão realizadas em Cachoeira e serão compostas por cineastas, críticos, professores e representantes das religiões afro-brasileiras. Serão 2 mesas de debate com 1 mediador e 4 convidados cada uma. 






Nenhum comentário: