quarta-feira, 19 de março de 2014

Crianças devem ser formadas para convivência pacífica e construtiva entre religiões

O prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, cardeal Leonardo Sandri, disse durante o Dia de Estudos dedicado aos 10 anos da Mensagem de Amã que as crianças devem ser formadas para a convivência pacífica e construtiva entre religiões.

“Se crianças de religiões diferentes aprenderem desde pequenas a viver umas ao lado das outras, o mundo de amanhã vai conhecer mais concórdia e menos divisões”, afirmou esta terça-feira o cardeal argentino, no aniversário da declaração em que o Rei da Jordânia Abdullah II exortou à tolerância e à unidade no mundo islâmico.

“Se hoje somos ‘um mundo de feridos’ porque as religiões que professamos viram no passado alguns de seus membros agirem com violência em nome do seu Deus, amanhã poderemos constatar que uma pacífica e construtiva convivência é possível, se agora ensinarmos isto aos jovens”, sublinhou.

O cardeal Leonardo Sandri recordou os momentos de recíproca proximidade e solidariedade entre cristãos e muçulmanos, que presenciou em diversas circunstâncias, mesmo dramáticas, durante as suas recentes viagens ao Iraque e Líbano, destacando por isso a “prioridade” do dicastério por ele guiado, “em procurar onde quer que seja, a cura da formação, em particular nas estruturas eclesiais romanas frequentadas por numerosos estudantes católicos e de outras Igrejas cristãs”.

Analisando a Mensagem de Amã, o prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, destaca quando esta se refere à educação dos jovens como “o ornamento do nosso presente e promessa do nosso futuro, sendo que por isso os sábios protegem os jovens do perigo de se desviarem para o caminho da ignorância, da corrupção, da mentalidade fechada e da subordinação”.

“São estes os caminhos da paz que o Senhor já abriu, para que o mundo possa sempre beneficiar da contribuição do Oriente na edificação da casa comum da humanidade”, concluiu o cardeal Leonardo Sandri.






Nenhum comentário: