segunda-feira, 19 de maio de 2014

Instituições religiosas oferecem Disk-Oração e canais web para tratar fieis – Por Carolina Monteiro

Para receber uma bênção ou oração, as pessoas recorreram geralmente às igrejas, templos ou centros, conforme sua crença. 

Atualmente, além dos tradicionais espaços coletivos para oração, há variados serviços remotos, oferecidos via internet ou telefone, disponíveis para receber as intenções. A principal motivação das instituições religiosas que oferecem este tipo de atendimento é, mais do que atender pedidos de oração, abrir um canal de escuta para pessoas em sofrimento.

O Pe. Ronaldo Pires é um dos idealizadores da Igreja Católica Sacerdotal Espiritualista, uma vertente não reconhecida pela Igreja Católica Apostólica Romana, que propõe uma junção entre liturgias católicas e premissas espíritas. Além de inovar no trato da religião, a Igreja também mudou sua relação com os fiéis.

Desde abril de 2012, mantém um Disk-Oração, que atende cerca de dez pessoas por dia, oferecendo, além de orações, conselhos ou apenas um canal de escuta. “Hoje, as pessoas têm muito mais necessidade de uma palavra amiga, de conversar, de chorar, do que de coisas materiais. Quando ligam, não querem a oração em si, mas ter com quem falar”, disse o padre.

Este também é o caso das pessoas que recorrem ao SOS Paz, projeto realizado há cinco anos pela Igreja Evangélica Luz para os Povos que atende cerca de três ligações por semana. O pastor Adalberto Alves da Silva, membro do Conselho dos Pastores de Uberlândia (Conpas), afirmou que a maioria das pessoas busca o serviço para desabafar.

As ligações são feitas por pessoas com preocupações, problemas familiares ou conjugais e em desespero. O professor de Música Leonardo Batista além de frequentar cultos da Luz para os Povos, se comunica com o pastor, via SMS, há dois anos. “Uso o recurso em momentos de aflição e me sinto reconfortado com as respostas que ele me dá.”

Diocese apoia iniciativa que acolhe pessoas aflitas

De acordo com o diácono Claudemar Silva, assessor da Diocese de Uberlândia, oficialmente, a Igreja Católica desconhece que haja o serviço de “Disk-Oração” nas paróquias da cidade, mas compreende e incentiva iniciativas do gênero.

“Hoje, temos dificuldade de nos ouvirmos mutuamente. Um projeto que coloca alguém que escuta para acolher alguém que quer falar é muito positivo. É preciso, apenas, que haja responsabilidade e uma boa dose de discrição, já que lida com a intimidade e saúde emocional das pessoas”, disse.

Cerca de oito pessoas atendem aos pedidos no Disk-Oração da Igreja Sacerdotal, que recebe ligações de Uberlândia e cidades da região. Elas trabalham como voluntárias, de acordo com a disponibilidade.

O que motivou a servidora pública Letícia Brito e Silva a ser voluntária foi o caráter ecumênico do projeto. “A principal oração que fazemos é o ‘Pai Nosso’, escolhida por ser a mais aceita entre todas as religiões. Assim, para atender, não preciso conhecer a fundo nenhuma religião, apenas estar com o coração aberto para acolher o problema do outro. Eu saio de lá em paz, pela sensação de ter contribuído um pouco para o bem do próximo”, disse.

Paróquia cria página para interagir com seguidores 

Embora não mantenha canais de contato telefônico para atender aos pedidos de oração em Uberlândia, a Igreja Católica está presente na internet. A Paróquia São Cristóvão acaba de criar uma página em uma rede social, para divulgar atividades e interagir com os fiéis, que já estão enviando pedidos de intenção e de missa. O Movimento de Oração e Escuta (MOE) da paróquia também recebe pedidos via e-mail. 

“Se você acessa qualquer site católico, sempre vai encontrar um email que pode usar para pedir orações. Isso é próprio do momento comunicacional que estamos vivendo”, disse o diácono Claudemar Silva.

A Igreja Universal é pioneira na utilização de recursos tecnológicos como meio de evangelização no Brasil

Atualmente, em seu site, disponibiliza o serviço SOS Espiritual, que atende as pessoas em tempo real, via chat, por meio do serviço Pastor Online, ou via telefone, disponibilizando atendimento em todas as capitais do Brasil. De acordo com o pastor Adalberto Alves da Silva, membro do Conselho dos Pastores de Uberlândia (Conpas), trata-se de uma contextualização do evangelho, fruto da necessidade de inserção das igrejas no mundo contemporâneo.

Oração em comunidade não pode deixar de existir, defende teólogo

A busca do sagrado por meio da oração existe ao longo de toda a história da humanidade, de acordo com o coordenador do curso de Teologia da Faculdade Católica de Uberlândia, Manoel Messias de Oliveira. 

Para o teólogo, o uso de dispositivos para pedir oração pode ser justificado por comodismo, falta de tempo ou pela forma como as pessoas compreendem a oração. “Muita gente acha que rezar é um hábito mecânico, o que não é verdade; supõe um encontro com o outro e com Deus”, afirmou.

A preocupação do teólogo é que, com a crescente utilização de meios eletrônicos, as pessoas percam a capacidade do encontro, essencial para a experiência cristã. “Rezar via internet ou telefone não é ruim, se a pessoa atinge o sagrado nessa experiência. Problemático seria se as pessoas ficassem apenas nessa espécie de ‘igreja eletrônica’, se esquecendo de rezar em comunidade, deixando de ver no outro a imagem do próprio deus.”

A dona de casa Regina Aparecida Tomé Santos disse que, depois do contato com o Disk-Oração, se reaproximou da igreja. “Quando conheci o serviço, estava precisando de ajuda, com dificuldades familiares. Depois que comecei a buscar as orações por telefone, minha vida mudou muito para melhor. Eu estava afastada da igreja, minha família também. Agora, vamos às missas com frequência.”





Nenhum comentário: