domingo, 13 de julho de 2014

Produto da imaginação – Por Elzi Nascimento e Elzita Melo Quinta

O homem responderá pelo esforço que fizer ou não em usar sua inteligência para alcançar o progresso, o que é uma das leis de Deus. Leis existem para serem cumpridas e quem não as respeita, cria débito.

Imagine o quanto demoraria o ser humano para evoluir, moral e tecnologicamente, se não contasse com a ajuda de seres mais evoluídos, superiores em conhecimento, que encarnam na Terra, sob os desígnios do Pai Celeste. Vêm para revelar noções da evolução. 

Seres denominados homens de gênio, reveladores como Copérnico, Galileu, Newton, Laplace, Lavoiser e outros que trouxeram seus conhecimentos, grandes revelações para ensinar os mistérios da natureza, fatos incontestáveis até então desconhecidos. São como professores que ensinam aos alunos que ignoram o que não poderiam descobrir por si mesmos. São semeadores de novos tempos. Se dúvida, observe o ciclo das grandes descobertas e invenções depois deles.

Esses notáveis, como tantos outros, trazem, ao nascer, faculdades transcendentes, conhecimentos inatos que desenvolvem com facilidade. Por que sabem mais? Os materialistas afirmam que o acaso os favoreceu com matéria cerebral especial, como se fossem frutas ou legumes geneticamente privilegiados.

Certos espiritualistas dirão que Deus criou almas com vantagens sobre as demais, o que tornaria Deus com preferência por alguns, o que é ilógico.

A única resposta racional está na pré-existência da alma e na pluralidade das vidas. Isto explica os grandes gênios e sábios de todas as épocas. Na atualidade, no lastro dos grandes avanços da ciência, temos os iluminados que descortinaram o desenvolvimento de um mundo cada vez mais tecnológico e informatizado. Impossível referirmo-nos a todos.

O homem de gênio é um Espírito que tem vivido mais tempo, progrediu mais que aqueles que estão menos adiantados. Quando encarna aqui traz o que amealhou em vidas pregressas, por isso sabe mais que os outros sem precisar aprender o que já domina. Seu saber é fruto de experiência anterior. 

A existência funciona para eles como um laboratório onde os experimentos fundamentam hipóteses e definem novos conceitos e descobertas valiosas para o inimaginável progresso humano. 

Pense nos grandes matemáticos, físicos, astrônomos, engenheiros, arquitetos, químicos, médicos, sanitaristas, professores, juristas, arqueólogos, jornalistas, pesquisadores, artistas, escritores, poetas, comunicadores, desbravadores e benfeitores de todas as áreas do conhecimento, em todos os períodos de nossa história passada e presente.

Em todas as religiões também encontramos reveladores de acordo com o tempo, o meio em que viveram, o caráter particular dos povos aos quais se dirigiram. Semearam o progresso sob as bênçãos da transcendência. Dia virá em que as crenças e a religiosidade que se baseiam em Deus e na imortalidade da alma se tornarão uma só.

Estas almas missionárias trazem tarefas sublimes em todos os campos do conhecimento: científico, político, filosófico, pedagógico, jurídico, sociológico, artístico e religioso da humanidade. É assim que deparamos com épocas que descortinam o novo, trazendo a mensagem de elevação. 

Tivemos, por exemplo, Francisco de Assis, que implantou admiráveis conceitos de renovação cristã. O mundo atual conviveu com personalidades de escol como Allan Kardec, Mahatma Gandhi, Madre Tereza de Calcutá, Francisco Cândido Xavier, Irmã Dulce e tantos outros luminares que divisaram novas fronteiras para o entendimento fraternal.

Há uma lógica rigorosa que nos leva a inferir que o progresso da humanidade faz parte de uma ciência transcendental que utiliza métodos seguros e não se trata de acaso ou simples produto da imaginação.


(Elzi Nascimento, psicóloga clínica e escritora / Elzita Melo Quinta, pedagoga, especialista em Educação e escritora. São responsáveis pelo Blog Espírita: luzesdoconsolador.com. Elas escrevem no DM aos domingos – E-mail: iopta@iopta.com.br (062) 3251 8867)



Nenhum comentário: