terça-feira, 23 de setembro de 2014

Crivella diz que escolas no RJ terão autonomia para ensinar religiões – Por Marcelo Elizardo

Candidato do PRB, que é evangélico, se encontrou com arcebispo do estado. Ele afirmou que vai permitir ensino de religiões, independente de qual seja.

O candidato ao Governo do Estado Marcelo Crivella (PRB) afirmou, na segunda-feira (22/09), que vai manter diálogo com a Arquidiocese, caso seja eleito, mesmo sendo adepto da religião evangélica. 

O senador se encontrou com o arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta, para apresentar seu plano de governo, no início da tarde. Bispos de todo o estado participaram do encontro.

"Eu sou evangélico e tenho diálogo com a igreja católica. Tenho diálogo com a Arquidiocese. No meu passado era mais difícil. Não havia esse diálogo como temos agora. E isso favorece muito a construção da minha candidatura. Isso quebra barreiras. Acho que todas as igrejas têm muito a acrescentar na construção do Rio", disse Crivella.

O candidato do PRB inicialmente apresentou suas propostas a Dom Orani e bispos. Em seguida, respondeu a perguntas dos presentes. Crivela afirmou ainda que vai seguir a lei do ensino religioso, que dá autonomia às escolas públicas de ensinar alguma religião na unidade.

"O ensino religioso voluntário tem valor. Você impor a uma criança ser evangélico, ser católico ou seja lá o que for não tem sentido. Que seja voluntário. Que a criança queira que o pai ensine", disse.

Antes de encontrar o arcebispo do Rio de Janeiro, Crivella fez uma breve caminhada na Rua Uruguaiana, no Centro do Rio de Janeiro. Ele conversou com eleitores e comerciantes da região. O candidato do PRB prometeu reforçar a segurança na região, se for eleito.

"A nossa proposta para o Centro da cidade é segurança. O que mais as pessoas reclamam aqui é roubo. Em termos de segurança 2014 está sendo muito pior do que 2013. É preciso trazer segurança para o Centro da cidade. Como a gente faz isso? Motocicleta. A Polícia Militar percorrendo isso aqui tudo de motocicleta. E câmeras. Com as pessoas o tempo todo sendo vigiadas. Quando começar a cair no ouvido da bandidagem que a polícia está prendendo aqui, vai diminuir", disse Crivella.


No parte da manhã, o candidato participou de debate da revista Veja, OAB e universidade Estácio de Sá, no Castelo, Centro do Rio de Janeiro.



Nenhum comentário: