sexta-feira, 28 de novembro de 2014

O II Festival Nacional de Cinema Cristão realiza premiação para o melhor filme longa-metragem de 2014


 II Festival Nacional de Cinema Cristão premiou "Metanoia" como o melhor filme longa-metragem de 2014 no Teatro Ipanema, no Rio de Janeiro, na noite de terça-feira (25/11).

Produzido pela Cia de Artes Jeová Nissi, a película é baseada em fatos reais sobre um jovem criado num bairro da periferia de São Paulo. 

A infância foi em meio a brincadeiras nas ruas de Jardim Ângela e a boa educação dada pela mãe não o impediu de mergulhar no universo delirante e auto-destrutivo das drogas. Além de Metanoia outros dois finalizistas concorreram a premiação: "Labirintos Internos" e "Sem Regras".

O filme, é o primeiro que a Cia. Nissi produziu, e contou com a parceria da 4U Films. O elenco conta com atores renomados nacionalmente como Caio Blat, Solange Couto e Silvio Guindane, que pela primeira vez participaram de um projeto social organizado por uma entidade religiosa.

Foram 99 filmes inscritos no festival e os jurados consideraram a qualidade técnica, roteirização e valores cristãos. Ao todo foram 12 categorias premiadas.

O filme: Metanoia levou os primeiros prêmios da noite: Melhor Roteiro, Melhor Ator (Caique Oliveira), Melhor Atriz (Einat Falbel), Melhor Fotografia e Diretor de Arte. A estatueta de Melhor Música foi para o filme: "Labirintos Internos" e, "Sem Regras", venceu na categoria Melhor Trilha Sonora, Maquiagem e Figurino. 

"O filme, Sem Regras, fala sobre as sete cartas das igrejas do Apocalipse, são algumas passagens bíblicas, e a gente fez uma releitura dessas cartas, trazendo uma narrativa contemporânea", explica o diretor do musical, Tiago Rocha. 

Outras premiações abrilhantaram também o festival. A melhor animação escolhida foi: "Deixa o medo pra lá", de Biguinha e Seus Amigos que levaram a estatueta criada pelo artista Moses Gomes. O vencedor do Melhor Curta-Metragem foi: "I am Chaplin" e o melhor Documentário foi  "Uma Esperança"

No documentário é possível ver que nem sempre o Crack é a reta final da vida de um dependente. As imagens foram produzidas na Cristolândia em São Paulo.


A autora, Vivian de Oliveira, roteirista que escreveu as minisséries inspiradas em histórias bíblicas e que foram sucesso na Rede Record de Televisão, prestigiou no II Festival Nacional de Cinema Cristão e testemunhou como Deus a chamou para escrever narrativas bíblicas para TV. 

"Meu filho estava com 15 dias. Não sei se chorava de alegria ou medo, mas aceitei o desafio e hoje já estou escrevendo minha primeira novela. Sou muito grata a Deus por tudo isso", disse emocionada.




Nenhum comentário: