quinta-feira, 26 de março de 2015

Na Holanda, túmulos de «mãos dadas» unem casal separado por religião



Nem a morte foi capaz de separar o militar J.W.C van Gorcum da sua mulher J.C.P.H van Aefferden. 

Os dois residiam na cidade holandesa de Roermond no século XIX, e, ao chegar ao fim da vida, enfrentaram um dilema: ele era protestante e ela, católica.

A diferença confessional que não os impediu de passar 38 anos juntos seria um empecilho na hora da morte. No cemitério de Roermond, cada religião tinha o seu espaço: protestantes não podiam ser enterrados juntamente com católicos.

J.W.C van Gorcum faleceu em 1880 e foi sepultado perto do muro que até hoje divide jazigos das duas religiões. Antes de morrer, em 1888, a sua mulher conseguiu um túmulo do outro lado do muro, próximo ao do seu marido. A sua lápide foi erguida de maneira idêntica à de J.W.C van Gorcum, com o topo do monumento a ultrapassar a altura do paredão.


Para mostrar que nem a morte e nem a religião poderiam separar o casal, duas mãos dadas foram colocadas entre as lápides, numa intervenção que transformou o cemitério de Roermond numa atração turística na cidade. Roermond fica no sul da Holanda, a cerca de 180 quilómetros de Amesterdão. 



Nenhum comentário: