terça-feira, 12 de maio de 2015

Após jovem queimar Bíblia, padre divulga carta aberta sobre ato no Acre ´Por Aline Nascimento



Mássimo Lombardi publicou carta no Facebook falando sobre o ocorrido. Bíblia foi queimada durante sarau na Ufac, em Rio Branco, no último dia 30/04.

O padre Mássimo Lombardi, da Igreja Católica de Rio Branco, se pronunciou sobre o ato do jovem Roberto Oliveira da Silva, de 29 anos, que queimou uma Bíblia durante um sarau na Universidade Federal do Acre (Ufac) no último dia 30 de abril. 

Em carta aberta publicada no Facebook, o padre conta que respeita e admira a ousadia do jovem, mas que a Bíblia é um instrumento de paz, amor e respeito. A Bíblia foi queimada durante um dos shows do 4º Encontro Nacional de Ateus, realizado no campus da Ufac. Após o episódio, a universidade decidiu suspender a realização de eventos no campus.

Na carta direcionada ao jovem ateísta, o padre conta que ele é seu amigo e acredita que Silva "sempre foi e continua sendo um apaixonado de Jesus e de sua palavra". Lombardi diz ainda que se preocupa com a atitude do jovem e dos queima-bíblia, pois, "no mundo de hoje as guerras começam quando se mexem com os sentimentos religiosos, que constituem a alma mais profunda do sentido da nossa vida e da vida dos povos".

Lombardi revelou ainda na carta que respeita aqueles que não acreditam em Deus, que eles são "garimpeiros da verdade, caçadores de autenticidade e defensores da tolerância", porém, a atitude do jovem "constitui um ato imperdoável para um universitário". Para o padre, a religião serve para unir povos e raças.

O reverendo afirmou na carta que Silva pode contar com as suas orações e pede que o jovem não brinque mais com a palavra de Deus. O padre disse ainda que a cidade de Rio Branco precisa de paz e unidade.

No último dia 08/05 foi a vez do pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP) se pronunciar nas redes sociais contra o ato ocorrido em Rio Branco. Feliciano acredita que os envolvidos no ato devem responder judicialmente na Justiça. Ao G1, o pastor e deputado disse que enviou um ofício à Polícia Civil solicitando instauração de inquérito por vilipêndio a símbolo religioso.

O secretário de Polícia Civil do Acre, Carlos Flávio Portela, confirmou o recebimento do documento enviado por Feliciano e disse que o caso vai ser investigado pela Delegacia da 4ª Regional. De acordo com o secretário, os autores do ato poderão responder por escarnecer de alguém publicamente devido à crença religiosa, descrito no artigo 208 do Código Penal Brasileiro.

Bíblia foi queimada em sarau realizado dentro da Ufac

Um exemplar da Bíblia foi queimado durante um sarau, no último dia 30 de abril, pelo vocalista de uma das bandas que se apresentavam no evento, Violação Anal. O evento fazia parte da programação do 4º Encontro Nacional de Ateus, realizado no campus da Ufac, em Rio Branco.

Em seu perfil no Facebook, o vocalista da banda, Roberto Oliveira da Silva, de 29 anos, questionou a repercussão do ato. Ele negou que tenha algum tipo de preconceito contra religiões. "Quem me conhece sabe no que acredito, e sabe que não sou um intolerante religioso", disse.

O músico falou ainda que não se arrepende do ato. "Acredito que o homem pode e deve exercer sua liberdade, e isso implica em assumir a responsabilidade de seus atos. Não quis ofender nem ferir o credo de ninguém, mas se incomodei, que reflitam sobre as suas práticas mediante a minha. Já faz tempo que não acredito que é certo virar a outra face quando te batem", acrescentou.

Após o sarau, a Ufac emitiu nota suspendendo a realização de eventos do tipo. O reitor Minoru Kinpara afirmou que a medida foi tomada, principalmente, devido aos eventos não serem restritos à comunidade acadêmica.

"O estado é laico e assim está claro na nossa Constituição. Mas o estado laico não significa que o estado é ateu. O ateu vai ter espaço e quem não é ateu também. Quem acredita na Bíblia como livro santo vai ter espaço e que não acredita também. Uma convivência com respeito e a universidade precisa dar esse exemplo", finaliza.





Nenhum comentário: