segunda-feira, 4 de maio de 2015

Ensino religioso: qual a importância? Por - Ana Becker


A disciplina de ensino religioso, em algumas instituições de ensino, está presente em todas as séries do ensino médio. 

Em outras, as turmas têm a matéria apenas em um ano e outros podem optar em tê-la ou não. Há alguns anos, pessoas questionam-se sobre a ciência ser necessária ou não.

Para debater o assunto uma audiência pública foi convocada para o dia 15 de Junho, pelo Supremo Tribunal Federal (STF) quer debater a forma de ensino nas escolas públicas. 

Solicitada pelo ministro Roberto Barroso, relator da ação direta de inconstitucionalidade (Adin), na qual, a Procuradoria-Geral da República pede a Corte que reconheça o ensino religioso como natureza não confessional, com a proibição de admissão de professores que atuem como 'representantes de confissões religiosas'. 

Segundo entendimento da procuradoria, o ensino religioso só pode ser oferecido se o conteúdo programático da disciplina consistir nas exposições 'das doutrinas, das práticas, das histórias e da dimensão social das diferentes religiões', sem que o professor tome partido.

Disciplina opcional

De acordo com a diretora da Escola Cônego Albino Juchem, Inês Lagasse Mayer, apesar da oferta da disciplina ser obrigatória, na instituição a matéria é facultativa para o aluno, ou seja, ele pode optar por ela, ou não. 

'No Ensino Fundamental, o Ensino Religioso é parte integrante dos 25 períodos semanais. No Ensino Médio Politécnico o aluno opta por fazer as aulas, que hoje, são em forma de oficinas, desenvolvendo projetos, uma vez ao mês, quatro horas', explica.

Em instituições filiadas a redes, como funciona?


Apesar da audiência pública discutir apenas o ensino religioso nas escolas públicas, a Folha do Mate mostra e explica aos leitores que nas escolas pertencentes a redes a disciplina é desenvolvida envolvendo todas as religiões. 

Conforme o diretor do colégio Gaspar Silveira Martins Tiago Becker, apesar da instituição ser filiada à Rede Sinodal de Educação e estar ligada à Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) sua identidade é luterana e a instituição tem o intuito de preservá-la. 'Isso não significa que a instituição realize aulas de ensino cristão luterano', salienta.




Nenhum comentário: