terça-feira, 28 de janeiro de 2014

'Cantando a Gente Se Entende' reúne diversas religiões na Cinelândia – Por Bruno Sette

O evento "Cantando a Gente Se Entende" reuniu fiéis e líderes de diversas religiões na última sexta-feira, 24, na Cinelândia, Centro do Rio de Janeiro, realizado pela Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), encabeçada pelo babalaô Ivanir dos Santos.

Visando romper barreiras e diminuir o preconceito entre religiões, a cerimônia contou com diversas apresentações das mais variadas denominações religiosas e culturais, como o Coral Ecumênico Religião de Deus, apresentações de dança cigana, cânticos hare krishna e os ogãs Taina e Tião Casemiro entoando canções afrorreligiosas com uma pitada de jazz, samba e MPB, além da inédita participação do Grupo Afro Gospel, da igreja neopentecostal A Voz de Deus.

Conhecida pela intolerância para com outras religiões, a denominação cristã neopentecostal reuniu-se pela primeira vez ao evento em 14 anos. Junto de seus fiéis, o pastor de origem nigeriana Ayo Balogun esteve presente no "Cantando a Gente Se Entende" e cedeu uma entrevista ao SRZD.

No palco, após ser apresentado pelo babalaô, Balogun, com seu bom humor e sotaque carregado, palestrou sobre todo tipo de intolerância. "Se Deus é amor, amor nos une. Esse amor que me une a Ivanir. Apesar que Ivanir pode não crer no que eu acredito, e eu também não creio em nada que ele acredita. Mas é um ser humano igual a eu, que Deus criou e eu posso abraçar, eu posso amar". (sic)

Vítima de intolerância religiosa

No dia 21 de janeiro do ano 2000, a sacerdotisa do candomblé Gildásia dos Santos e Santos foi vítima de um enfarte ao ver seu rosto estampado no jornal "Folha Universal" junto a uma manchete acusatória que dizia: "Macumbeiros charlatões lesam o bolso e a vida de clientes". Desde 2007, a data de sua morte foi adotada como o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa.





Nenhum comentário: