quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

O que é a maçonaria – Por Deusamar Borges Cardoso

A maçonaria é principalmente uma sociedade filantrópica, secreta e organizada, mas também uma religião. 

Ela tem templos, altares, orações, turíbulos, incenso, rituais simbólicos de purificação, reuniões regulares, cerimônias fúnebres e ministros oficiantes. Ela afirma continuamente que não é religião, entretanto, procede como tal.

No século XVII, pedreiros em grupo viajavam pela Europa construindo catedrais para a Igreja, edifícios públicos e monumentos para os reis. Construíam também “lojas” para si mesmo, para hospedagem, reuniões e descanso. Não eram lojas como conhecemos hoje, mas prédios apropriados para os fins já ditos. A primeira grande “loja” surgiu na Inglaterra em 1717. O termo maçom em inglês é “mason” e significa pedreiro.

A Amorc (Antiga e Mística Ordem Rosacruz) é mais antiga que a maçonaria. É mais esotérica e data do ocultismo. O nome Rosacruz vem de Cristian Rosenkreuz, um lendário cidadão alemão que muito teria promovido a ordem, lá pelo século XIV ou XV. Dizem que seu promeiro patrono foi o famoso faraó Amenotepe IV, cerca de 1300 a.C. Por sua vez a maçonaria alega que seu fundador foi o construtor faraó Amenotepe IV, cerca de 1300 a.C. Por sua vez a maçonaria alega que seu fundador foi o construtor Hirão Abiu, de Tiro, que auxiliou o Rei Salomão na construção do templo dos judeus (2Cr2.13).

Apesar da aceitação de pessoas estranhas à arquitetura da maçonaria, instrumentos da arte de construir foram conservados como símbolos, dentro da entidade. Dentre esses instrumentos de significado dentro da simbologia maçônica, destacam-se: o compassso, a régua, o esquadro, nível, o primo, o escopo, o malhete, a alavanca e tantos outros usados pelos mestres da arquitetura.

O esquadro significa a necessidade do maçom afastar-se de tudo aquilo cujo nível esteja em desacordo com a Sabedoria, Força e Beleza, palavras de grande significado dentro do vocabulário maçônico. Ele significa, outrossim, que o maçom deve regular a sua conduta e ações, sobretudo como tributo ao supremo Grande Arquiteto do Universo, que os maçons chamam de Deus.

O nível ensina que todos os maçons são da mesma origem, ramos de um só tronco e participantes da mesma essência. O prumo é o critério da retidão moral e da verdade, que ensina o maçom a marchar, desviando-se da inveja, da perversidade e da injustiça. Segundo a orientação maçônica, todos os maçons têm o dever de ensinar e praticar essas virtudes, e outras mais, conforme a orientação dos mestres da maçonaria.

A Sabedoria, Força e Beleza, são três palavras de efeito cabalístico no vocabulário maçônico. Segundo esta trilogia, o maçom precisa levar em consideração: a Sabedoria, para condizí-lo em seus destinos; a Força, para sustentá-lo em suas dificuldades; e a Beleza, para revelar a delicadeza dos sentimentos nobres e fraternais do verdadeiro maçom.

A maçonaria alega ter como objetivo a busca da Verdade, o estudo da Moral e da Solidariedade Fraternal. Diz trabalhar para o aperfeiçoamento moral, intelectual e social da humanidade, a fim de que os seus componentes sejam, mais felizes ou menos sofredores, graças a uma maior compreensão entre eles, pela prática constante da Fraternidade.

A maçonaria também alega, ter por princípio a tolerância mútua, o respeito aos outros, não impondo, porém, dogmas, nem exigindo subserviência espiritual, mas concede aos seus adeptos amplo direito de pensar, de discutir livremente. Considera as concepções metafísicas, como sendo do domínio exclusivo de apreciação individual dos seus membros, não admitindo afirmações dogmáticas que não possam ser debatidas racionalmente.

(Deusamar Borges Cardoso, advogado, escritor, jornalista, e-mail: deusamarcardoso.escritor@gmail.com)






Nenhum comentário: