terça-feira, 15 de abril de 2014

Livro homenageia a vida de Ebomi Cidália – Por Ana Emília Ribeiro

Uma homenagem à Ebomi Cidália, sacerdotisa do Ilê Iyá Omi Axé Iyamassê, o Terreiro do Gantois, foi realizada na última sexta-feira (11/04), em Salvador, com o lançamento do livro:

“Ebomi Cidália: a enciclopédia do candomblé – 80 anos”

A obra é assinada pela jornalista Cleidiana Ramos, em parceria com o historiador e religioso do candomblé, Jaime Sodré. O evento aconteceu no Ilê Axé Iyá Nassô Oká, Terreiro Casa Branca.

Com apoio da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), a publicação conta a vida da sacerdotisa e fala da tradição dos ensinamentos através da oralidade. O livro é, ainda, uma importante ação de visibilidade para as mulheres negras e das religiões de matriz africana, representadas na figura da homenageada.


Durante a abertura da cerimônia, Ebomi Nice enfatizou que “muitos pregam a paz, mas só iremos atingi-la quando as religiões viverem em paz. Todas as religiões têm a mesma essência é um só caminho, precisamos conhecer as semelhanças e saber conviver e respeitar as diferenças. Ebomi Cidália foi uma mulher sensacional que dizia sempre o que pensava sem se esquecer de respeitar o outro independente de seu culto ou forma de pensar”, disse a religiosa.

O livro foi baseado em uma transcrição do evento comemorativo de 80 anos de Ebomi Cidália, gravado no Terreiro de Oxumarê. Levando em consideração a tradição da oralidade, poucas intervenções textuais foram realizadas, sem alterar a dinâmica dos pronunciamentos e ideias dos participantes, traduzindo o clima do evento e seus detalhes significativos. Além dos organizadores, o livro possui textos de Marlon Marcos, Meire Oliveira e Juliana Dias.

De acordo com o professor Jaime Sodré “Ebomi Cidália tinha uma oratória fantástica, que envolvia a todos com diversos recursos, por isso buscamos manter uma transcrição da forma mais próxima possível de como era conversar com ela, para quem não teve a oportunidade de conhecê-la, o livro é uma oportunidade de compreender melhor a sua personalidade”.

História

Ebomi Cidália foi consagrada ao orixá Iroko, logo aos 7 anos de idade por Mãe Menininha. Faleceu em março de 2012, após uma longa trajetória dedicada à manutenção e divulgação das tradições culturais e religiosas da religião, tendo atuado em diversos espaços como Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra (CDCN) e em palestras, seminários e ambientes acadêmicos
.




Nenhum comentário: