sexta-feira, 2 de maio de 2014

20ª Oficina de Ensino de História do GT de Ensino de História e Educação da ANPUH-SP

Desarquivando a ditadura civil-militar na escola: 
práticas de memória e de ensino de História em arquivos online.

O GT de Ensino de História e Educação, da ANPUH-SP, em parceria com a FEUSP, convida os professores da Educação Básica para a 20ª Oficina de ensino de História, no dia 24 de maio de 2014 (sábado), das 9h30 às 13h, na Faculdade de Educação da USP (Laboratório Integrado de Educação e Tecnologia-LIET, sala 26, andar térreo do Bloco B).

Essa será uma Oficina voltada para professores interessados em refletir e desenvolver ações educacionais que envolvam leitura de documentos de arquivo, inclusive aqueles publicados online por arquivos públicos brasileiros e internacionais.

Os grandes arquivos públicos têm publicado imagens de documentos online, que circulam amplamente na rede mundial, multiplicadas pelas redes sociais. Como está se configurando esse movimento que vem fazendo com que os arquivos saiam de seu anonimato e se insiram na cultura escolar e nas mídias? 

E mais: muitos arquivos brasileiros têm publicado imagens de documentos produzidos entre o golpe civil-militar de 1964 e a redemocratização, na década de 1980. A possibilidade de propormos atividades educativas que envolvam a leitura de documentos desse período é desafiadora e estimulante, embora encontrar os caminhos por entre as “florestas” de documentos vos exija certo conhecimento do mundo dos arquivos. Como navegar nesse universo e nele criar experiências de produção de conhecimento histórico educacional?

Movida por essas perguntas, essa Oficina se propõe a refletir, de forma colaborativa, sobre um conjunto de acervos documentais e projetos de educação propostos online em arquivos públicos, nacionais e internacionais, que possam estimular a criação de atividades significativas a respeito das experiências vividas naquele período, e que vêm sendo “desarquivadas”.

A Oficina será conduzida por Ana Maria de Almeida Camargo, professora e pesquisadora da FFLCH-USP, e por Adriana Carvalho Koyama, pesquisadora colaboradora do Centro de Memória-Unicamp e pesquisadora do GEPEC-FE/Unicamp.



Nenhum comentário: