quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Estado Islâmico demonstra fanatismo, diz líder de Comunidade Islâmica em Portugal

Abdool Karim Vakil sublinhou que o Islão é uma "religião de paz" e que nada tem a ver com as decapitações feitas pelos extremistas do Estado Islâmico, que são “fanáticos”.

O presidente da Comunidade Islâmica em Portugal considera que os jihadistas do Estado Islâmico demonstram fanatismo ao terem executado dois jornalistas norte-americanos.

Em declarações à TSF, Abdool Karim Vakil mostrou-se ainda preocupado com uma eventual generalização de uma confusão sobre o que são os valores do Islão e a atuação dos extremistas.

“A religião não prega uma coisa destas. Decapitar não é do Islão, mas em todas as épocas há pessoas que exageram um pouco na sua religião. Há fanáticos e também já houve noutras religiões também. Houve e há ainda infelizmente”, acrescentou.

Sublinhando que o Islão é uma “religião de paz”, Abdool Karim Vakil separou a sua religião dos atos dos extremistas do Estado Islâmico.

“O Islão prega uma convivência pacífica entre os homens sejam eles de que religião forem. Especialmente enfatiza-se bastante as religiões do livro: judeus e cristãos”, explicou.


Abdool Karim Vakil, que diz que alguns recém-convertidos chegam a ser “mais papistas que o papa”, lembrou ainda que jihad está sim associada a uma “luta interior” relacionada “com dominarmos o nosso espírito e os maus instintos que temos”.



Nenhum comentário: