terça-feira, 3 de março de 2015

Memorial reúne vida e obra de João Batista Libanio, referência em Teologia da Libertação – Por Thiago Silveira



"Nada faz o ser humano ser tão feliz como colaborar no crescimento interior e espiritual das pessoas”. 

Depois de escrever mais de 125 livros, o padre jesuíta João Batista Libanio tinha mais do que propriedade para fazer ecoar essa frase. Vítima de um infarto aos 81 anos, em janeiro de 2014, o religioso conta agora com um espaço para manter vida sua memória.

Doutor em Teologia e reconhecido em todo o mundo pela dedicação aos estudos na área, em especial em Teologia da Libertação, e também por sua ação pastoral, Padre Libanio lecionou em diversas universidades do país, como a Universidade do Vale do Rio dos Sinos, em São Leopoldo, Estado do Rio Grande do Sul, e no Instituto Teológico da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas). Antes de falecer, ele lecionava Teologia na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE), em Belo Horizonte (Minas Gerais).

Com o objetivo de fazer com que a vida e a obra de Libanio possam ser conhecidas e consultadas por outras pessoas que não conviveram com ele e não tiveram ainda acesso aos seus escritos, a FAJE criou um espaço virtual que reúne extenso materiais sobre o estudioso.

"Na verdade, fizemos um site que disponibiliza informações sobre o Padre Libanio: biografia, bibliografia (completa), homilias, recensões e artigos publicados na Perspectiva Teológica e na Síntese, alguns cursos que estavam disponíveis no Youtube”, conta o professor Geraldo De Mori, responsável pelo memorial.

A instituição pretende também criar um espaço físico do Memorial. "Provavelmente, no decorrer de 2015, serão dados os primeiros passos nesse sentido, mas não temos ainda previsão de quando será inaugurado. Esse trabalho depende de muita atenção, tempo e pessoas disponíveis para fazerem a triagem e a catalogação”, observa De Mori.

Para o professor, Libanio tinha uma capacidade de leitura, de síntese, de sistematização e de criação original muito grande, por isso, "seus cursos e livros retomavam as principais correntes teológicas do mundo, de forma original, inteligente e criativa”. 

"Além de professor e escritor, Libanio atuou como assessor e conferencista, exercendo influência importante em vários âmbitos e instituições eclesiais e não eclesiais no Brasil. Sua presença nos intereclesiais, em assembleias diversas da CRB [Conferência de Religiosos do Brasil] e de várias congregações e dioceses são exemplos da sua presença na vida concreta da igreja no país”.

Conhecer a vida de Libanio, o homem, o religioso jesuíta, o teólogo e o padre é, para De Mori, a possibilidade de saber mais sobre alguém apaixonado pelo que vivia e fazia. 

"Era um religioso exemplar, um padre completamente identificado com o ministério ordenado, um teólogo feliz com a missão de pesquisar, ensinar e ajudar a pensar. Tinha um excelente bom humor, tornando a vida cotidiana leve, sem entraves que impedissem de saborear o que Deus nos dá a cada momento”, assinala De Mori.

Serviço

A FAJE está recebendo material de pessoas e instituições que possuam registros das atividades do Padre Libanio, que, futuramente, também comporão o arquivo do Memorial. Quem dispuser e quiser doar pode fazê-lo no endereço da Biblioteca da FAJE: Av. Dr. Cristiano Guimarães, 2127 – 31.720-300 – Belo Horizonte, Mg.


Memorial J.B. Libanio: http://www.jblibanio.org.br




Nenhum comentário: