domingo, 5 de julho de 2015

Filme retrata a cultura cigana no sertão do Ceará



Com direção de Clébio Viriato Ribeiro, o longa-metragem: "A lenda do gato preto” exalta a força da cultura cigana e sua contribuição para formação da identidade cultural brasileira. 

Uma proposta que respeita as diferenças das minorias étnicas, reconhecendo o legado que os povos ciganos (notadamente, os que passaram pelo sertão nordestino em meados do século passado) deixaram às futuras gerações.

A história se passa no sertão, mas não fala de seca, cangaço e miséria. O filme tem ainda como mote inspirador uma lenda urbana propagada em Quixadá, município do sertão central do Estado do Ceará. 

Trata-se de uma menina tomada pelo desejo súbito e irresistível de subir pela parte mais íngreme da Pedra do Cruzeiro, vencendo seus 90 metros de altura sem a ajuda de qualquer equipamento, afirmando ser atraída por um gato preto que a conduzia até o topo da pedra.

Ciganos e lenda urbana

Por que um filme sobre ciganos? Ao contrário dos índios, hoje, também uma minoria, os ciganos, nem sequer são citados na Constituição Federal. A defesa dos direitos e interesses ciganos, no entanto, é bem mais difícil e complexa.

A cultura cigana representa um conjunto de tradições e crenças que desafiam os modelos sociais. Os ciganos, ao longo da história, são vítimas do preconceito social e religioso, exatamente por não reconhecerem um Deus próprio, nem sacerdotes, nem um pastor. Para as pessoas, ser cigano é, muitas vezes, sinônimo de esperto, vagabundo ou ladrão. Este ranço histórico é cultivado, inclusive, pela literatura.

Sinopse

Sertão do Nordeste brasileiro, tempos atrás. Um grupo de ciganos acampa nos arredores de Quixadá, seguindo a previsão de que um novo tempo que se anuncia. Ali passam semanas mudando a paisagem, interferindo no cotidiano do pequeno lugarejo.

Aos poucos, se integram à vida da cidade e usando da habilidade para o comércio fazem da feira seu ponto de negócios. Lutando pelo direito de serem aceitos, um pequeno grupo de ciganos envolve-se numa grande confusão, após um rico comerciante local atropelar um gato preto, animal de estimação de uma cigana. Conflito que finda por expulsar todos os ciganos da cidade. 

Anos depois, Mariana, filha mais nova da família Amorim, sente-se tomada por uma força indômita, que a faz correr pelas ruas de Quixadá e subir pela parte mais íngreme da Pedra do Cruzeiro.

A cigana do gato morto retorna a Quixadá, agora dona do famoso Circo Estrela do Oriente. Seu filho e Mariana têm um romance proibido que mudará o rumo da história.

Elenco e Equipe

O elenco do filme: "A Lenda do Gato Preto” é composto por grandes nomes do teatro, cinema e da TV brasileira, como Emiliano Queiroz, Elke Maravilha, Aurora Duarte, Eduardo Dascar. A atriz Cássia Roberta é a protagonista. Junto com o ator Alexandre Mandarino, formam o casal romântico do filme. 

No elenco, há ainda Jane Azeredo, Ana Marlene, Katiana Monteiro, Sidney Souto, Juliana Carvalho. Participação especial de do cantor e ator Rodger Rogério,e do artista Zé Tarcísio. A fotografia é assinada por Alex Meira e Jane Malaquias. Trilha Sonora de Manassés de Sousa, figurino de Dami Cruz e a direção de arte de Nilton Fiore e Nilson Santiago. 

A Lenda do Gato Preto foi inteiramente rodado no Ceará, tendo como cenários as paisagens de Quixadá e a beleza arquitetônica dos casarões e sobrados de Maranguape. 








Nenhum comentário: