domingo, 22 de novembro de 2015

Líderes de diferentes religiões se reúnem na Hebraica Manaus – Por Natália Caplan



Um encontro histórico entre líderes das principais religiões do mundo foi realizado na noite da última sexta-feira (20/11), na sede da Hebraica Manaus.

O embaixador de Israel no Brasil, Reda Mansour, foi recebido em um jantar com a presença da comunidade judaica, do presidente do Centro Islâmico do Amazonas, Walid Ali Saleh, do arcebispo de Manaus, Dom Sérgio Eduardo Castriani, e do pastor da Nova Igreja Batista (NIB), David Hatcher.

O diplomata, inclusive, representou a fé drusa, pequeno grupo religioso encontrado em diferentes países do Oriente Médio e em território israelense, e se disse honrado pela oportunidade. 

“Todo mundo normalmente fala de Israel como um país judeu e poucos sabem que há uma minoria bem integrada de 20% da população de drusos. Fiquei muito feliz. Não é somente uma cerimônia para a chegada de um embaixador de Israel”, disse.

Dedicado à compreensão intercultural, incentivando o respeito pelas diferenças, Mansour defende a conversação para dar exemplo às novas gerações. “Para mim, um dos veículos mais importantes da democracia moderna é diálogo, organizar eventos e produzir imagens para que os jovens e a sociedade vejam os líderes religiosos unidos, mandando mensagem de paz, de convivência. Essa é uma das partes mais importantes da minha visita ao Amazonas”, enfatizou.

Em meio à tensão dos ataques terroristas que dominaram os veículos de comunicação nos últimos dias, o presidente do Centro Islâmico do Amazonas, Walid Ali Saleh, foi um dos mais ovacionados durante os discursos. Para ele, esse tipo de acontecimento ofusca a verdadeira essência de todas as religiões e fez questão de lembrar a ligação entre os povos, árabes e judeus descendem de Abraão.

“Estamos, hoje, em um grupo heterogêneo, porém, a homogeneidade dele sobrepõe qualquer diferença. É um motivo de orgulho, uma transmissão de paz, que todo representante de religião tem que fazer”, discursou. 

“E não seria diferente da religião islâmica, que prega a paz e o respeito às diferenças. No final, somos todos primos”, completou, ao lembrar os filhos do patriarca, Ismael e Isaque, respeitados pelas respectivas crenças.

Como o líder muçulmano, o fundador da Nova Igreja Batista (NIB), pastor David Hatcher, ressaltou a importância do “Velho Testamento”, a “Torá” dos judeus, para os cristãos. 

“Nossas raízes, do Cristianismo e dos evangélicos, estão em Israel. A Palavra de Deus veio para nós por meio de Israel. É uma alegria conhecer o embaixador e o representante da religião islâmica, que também tem origem na pessoa de Abraão, no livro de Gênesis”, afirmou.

Oportunidade única

Para o presidente do Comitê Israelita do Amazonas (Ciam), Salomão Benchimol, reunir representantes de cinco crenças distintas, porém, praticamente nascidos na mesma origem, foi uma oportunidade única. 

“Tomamos conhecimento da agenda do embaixador, uma grata surpresa. A diretoria do Comitê Israelita pensou ‘por que não chamar membros de outras religiões para participar deste encontro?’. Em um momento tão sensível e tão necessitado de paz. Estamos muito felizes. Afinal, são todos irmãos”, declarou.

“Quando a gente se conhece, percebemos que somos muito parecidos, há muito mais coisas que nos unem do que aquilo que nos separa. A regra de ouro é fazer para o outro aquilo que eu quero que ele faça para mim. E não fazer aquilo que não quero para mim. Todos nós gostamos de ser respeitados e amados. Temos o nosso lugar”, disse Dom Sérgio Castriani, arcebispo de Manaus.

“Essa ocasião é para expressarmos também que nos queremos bem, apesar das diferenças. O papa Francisco tem falado muito sobre a importância da ‘cultura do encontro’. Encontrar-se na paz, na liberdade e na verdade; perceber que somos todos irmãos e irmãs, humanos. A humanidade nos une e temos muito a aprender uns com os outros. É fundamental um encontro como esse e espero que se repita”, completou.






Nenhum comentário: