quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Atos contra muçulmanos triplicaram em 2015 na França



Os atos contra os muçulmanos em razão de sua religião triplicaram neste ano na França ao superar a marca dos 400, frente aos 133 que tinham sido registrados oficialmente em 2014, publicou nesta quarta-feira o "Le Paresien".

Os dados da Delegação Interministerial de Luta contra o Racismo e o Anti-Semitismo (Dilcra), embora não sejam ainda definitivos, mostram "uma alta espetacular e muito inquietante que é explicada essencialmente pelo puxão dos atos que ocorreram depois dos atentados de janeiro", indicou teu responsável, Gilles Clavreul.

Segundo as conclusões deste organismo governamental citadas pelo jornal, outra tendência do ano que termina são os ataques a centros de reza muçulmanos, desde pinturas até incêndios e destruições passando por cabeças de porco deixadas como forma de provocação.

Assim, duas pessoas foram condenadas a seis meses de prisão por terem incendiado em 25 de abril uma mesquita em Mâcon.

Mais recentemente, uma concentração em apoio de bombeiros e policiais que tinham sido agredidos durante uma intervenção em um bairro conflituoso com uma grande população de origem imigrante do norte da África na cidade de Ajaccio degenerou no fim de semana passado em um ataque contra uma sala de reza muçulmana.

Além disso, segundo o Observatório contra a Islamofobia, 15% dos muçulmanos vítimas de atos contra essa comunidade não chegam a denunciá-los porque consideram que não serve para nada.

Os atentados jihadistas de janeiro em Paris contra jornalistas da revista satírica "Charlie Hebdo", quando oito profissionais foram assassinados por supostos jihadistas, e outros vários marcaram um ponto de inflexão neste tipo de ataques.





Nenhum comentário: