terça-feira, 1 de abril de 2014

Ditadura: o que resta da transição

O livro "Ditadura: o que resta da transição”, coletânea organizada pelo sociólogo Milton Pinheiro, tem uma postura ousada ao contar, sob várias óticas, críticas à história do que aconteceu durante o período compreendido entre o Golpe de 1964 e a campanha pelas Diretas Já, em 1985.



O livro relembra os 50 anos do período mais obscuro da história brasileira, a Ditadura Militar, e traz uma analise critica a partir de perspectivas diversas a respeito do panorama político e financeiro durante os "anos de chumbo”. Os autores abordam a mobilização civil e militar da época, bem como as estruturas políticas partidárias, as mutações ideológicas e as mobilizações comunistas.

Além da reinterpretação do que se passou durante esse período histórico, é traçado também um paralelo crítico sobre os partidos políticos brasileiros atuais, passagem que é reforçada pelo autor e historiador Lincoln Secco. Bem como são analisados o legado da Ditadura e as ideologias contemporâneas sobre o aspecto sóciopolítico do Brasil.

O analista David Maciel faz uma análise crítica sobre a mobilização da Aliança Democrática na luta contra a ditadura e o papel assumido por blocos políticos durante o período de transição para a abertura política democrática.

A coletânea conta ainda com a analise crítica da historiadora Anita Prestes (filha do líder comunista brasileiro Carlos Prestes), do filósofo marxista João Quartim de Moraes, do sociólogo Anderson Deo, entre outros autores.

Ficha Técnica:

Livro: Ditadura: o que resta da transição
Organizador: Milton Pinheiro
Autores: Vários
Página: 376
Ano:2014
Editora: Boitempo






Nenhum comentário: