sexta-feira, 8 de agosto de 2014

A razão do protesto de líderes evangélicos contra Dilma e a favor de Israel - Por Kiko Nogueira

Há dois motivos principais para a mobilização de lideranças evangélicas desgostosas com a condenação de Dilma à ação de Israel em Gaza. 

O primeiro: negócios. Em segundo lugar, mas não menos importante, os negócios.

Segundo conta a BBC, perto de oitenta pessoas estiveram no Ministério de Relações Exteriores para uma audiência. A articulação coube ao deputado federal Lincoln Portela, estrela da bancada evangélica.

Há uma aproximação clara entre as igrejas pentecostais e o judaísmo. Isso ficou evidente nas imagens da inauguração do Templo de Salomão. Além do monumento em si, inspirado na obra do filho de Davi, o bispo Edir Macedo tem se trajado com o xale sagrado usado por rabinos e, no cocuruto, está exibindo um solidéu. Sem contar a barba de profeta.

Não é, diga-se, um fenômeno exclusivamente nacional. Agora, o grande receio destes líderes é que um ruído nas relações diplomáticas atrapalhe o turismo para a chamada Terra Santa.

É um nicho que movimento muito dinheiro. Muito. Todos os anos, denominações religiosas, diretamente ou através de operadoras, vendem pacotes para milhares de fieis que querem estar nos lugares onde Jesus Cristo, segundo a tradição, esteve. Dê um Google e comprove.

Para o governo israelense, é uma receita sempre bem vinda. Em 2013, 3,54 milhões de visitantes estiveram no país, oriundos, em sua maioria, dos EUA, Rússia, Itália, Alemanha, Reino Unido, França e Brasil.

Os cristãos são mais da metade do movimento. O circuito: “Maravilhas de Israel” pode sair por 3 mil dólares numa agência. A reverenda Jane Silva, uma voz ativa pró-israelense, organizadora do encontro no Itamaraty, preside a Associação Cristã de Homens e Mulheres de Negócios e a Comunidade Brasil-Israel.

Em seu site oficial, ficamos sabendo que ela, “ao longo de mais de dez anos, tem sido inexcedível no cumprimento do seu compromisso de servir a Deus, investindo-se na defesa da causa da nação de Israel e do povo judeu, e em divulgar e promover o conhecimento da Terra Santa, possibilitando a centenas de brasileiros todos os anos a realização do sonho de conhecer in loco as Terras Bíblicas”.

O objetivo de sua entidade é “incentivar o turismo em Israel, de modo a ampliar o conhecimento da Bíblia”. Jane também está montando a terceira edição de um festival gospel por lá. Assíria Nascimento, ex de Pelé, e Cid Moreira estiveram no primeiro, assim como o velho e bom Marco Feliciano, que, aliás, comanda “caravanas” pelo pedaço. Na falta de pedaços da cruz, os inscritos no festival ganharam um kit com água, terra e óleo.

Sobre o Autor


Diretor-adjunto do Diário do Centro do Mundo. Jornalista e músico. Foi fundador e diretor de redação da Revista Alfa; editor da Veja São Paulo; diretor de redação da Viagem e Turismo e do Guia Quatro Rodas.



Nenhum comentário: