segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Clima pós-independência permite ascensão à liderança das igrejas em Angola - diz líder religioso


O presidente do Fórum Cristão Angolano, Luís Nguimbi, enalteceu na sexta-feira, 07/11, em Luanda, os ganhos da independência para a religião em Angola, tendo frisado que o clima político pós independência no país permitiu a ascensão dos angolanos à liderança das igrejas.

O líder religioso teceu tal consideração ao falar à Angop sobre os ganhos dos 39 anos de Independência, tendo ressaltado que na era colonial a igreja enfrentou inúmeras dificuldades e apresentava-se ainda em fase de implantação.

Destacou que depois da Independência, as coisas mudaram, o clima político permitiu uma excelente mudança, tendo em conta que os missionários estrangeiros haviam se retirado do país por causa da guerra civil.

Luís Nguimbe referiu que na época, a igreja assumiu uma grande acção humanitária para  salvar os deslocados de guerra e chegou mesmo a executar o maior projecto socio-humanitário.

De acordo com o religioso, no concernente as “relações igreja Estado”, houve um momento tenso após a Independência, com o ensaio do marxismo leninismo, mas como Angola é um país cristão, em curto tempo as coisas se alinhavaram.

“Em termos de ganhos da Independência, os resultados estão a vista, resta apenas desencadear uma ampla campanha de sensibilização, no sentido de que o país tenha cada vez mais credibilidade”, disse.


O responsável do Fórum Cristão Angolano destacou, de igual modo, a necessidade do regresso a Angola dos jovens que emigraram e assegurar a estabilidade dos que estão no país.




Nenhum comentário: