segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Rainha da Jordânia mostra repulsa contra quem mata em nome do islã

A rainha Rania, da Jordânia, que participou neste domingo da marcha pela república, contra o terrorismo em Paris, expressou sua repulsa a quem ofende o islã e "matam pessoas a sangue frio" em nome da religião.

Em sua página pessoal no Facebook, a rainha assinalou que sente "dor" diante dos que ofendem o islã, assim como pelas "ofensas contra outras religiões e ideologias religiosas dos outros".

"Sinto ainda mais dor pelo uso do islã por parte de determinado grupo para justificar os assassinatos de civis a sangue frio, que não tem nada a ver com o islã. Não são mais do que extremistas que querem matar por qualquer motivo e a qualquer preço", acrescentou.

Rania participou da passeata em Paris junto de seu marido, o rei Abdullah II, um gesto que mostrou seu apoio ao povo francês contra o extremismo e a favor do islã como "religião de paz, misericórdia e tolerância".


A manifestação, que percorre o centro de Paris, homenageia as 17 vítimas dos três atentados terroristas ocorridos esta semana na França. 



Nenhum comentário: