sexta-feira, 27 de março de 2015

Gurmeet Singh. Quando um líder de um culto é um santo rock star de trance-religioso em Bollywood - Por Filipe Paiva Cardoso




Gurmeet Ram Singh é o líder da Dera Sacha Sauda, um culto “sócio-espiritual” da Índia, e estreou-se agora em Bollywood num filme que escreveu, realizou e protagonizou sobre si próprio e os seus feitos. É seguido por 50 milhões de fiéis, número quase igual ao dos crimes de que é suspeito.

O seu nome é Sua Excelência, Hazoor Maharaj Saint Gurmeet Ram Rahim Singh Ji Insan, informa-nos o site oficial da Dera Sacha Sauda, o “Sítio da Verdade Real” a que o Sr. Sua Excelência preside.

A Dera Sacha apresenta-se como um culto sócio-espiritual da Índia e de “confluência de todas as religiões”, esclarecendo todavia não se tratar de um culto religioso, isto apesar de Sua Excelência se apresentar como “Messenger of God” (MSG) e de toda e qualquer referência a si surgir em maiúsculas e envolta em sacralidade, um exemplo:

“We cannot describe HIM with any vocabulary learnt upon the earth.” Em relação ao nome, “Sua Excelência, Hazoor Maharaj Saint Gurmeet Ram Rahim Singh Ji Insan”, hora de resolver isto: daqui em diante iremos tratá-lo por Guruji, o SEU petit nom que se pode traduzir por “professor” ou “guia espiritual”.

Não queremos com isto desrespeitar nenhum dos mais de 50 milhões de seguidores da Dera Sacha, mas o espaço limitado destas páginas a isso obriga, algo aliás que contrasta com a personagem de que iremos falar, um homem sem limites. Além de líder do culto, é cantor e tudo e mais alguma coisa.

Apresenta-se como “Rock Star Saint” e algumas das suas “Músicas Divinas” podem definir-se como um techno bollywoodesco em que Guruji se apresenta ao melhor estilo gangsta rappa, “This Season The Rockstar Saint brings a Tune for Youth India:Never Ever”, informa-nos o videoclip.

“Check it out!”, acrescentamos nós recomendando (muito) uma visita ao Youtube: procure “Rockstar Saint never ever” e veja também a “love charger” para dar por si numa espécie de festa de trance psicadélico-religioso-progressivo. Mas Guruji é mais, muito mais: 

estreou-se o mês passado em Bollywood com a produção “MSG: The Messenger of God”, filme sobre ele próprio, que escreveu, realizou, fez a banda sonora e foi actor principal, estando já está a rodar a sequela, “MSG II”. Mas isto ainda não é nada. Hora de recapitular: até agora temos em Guruji um mestre espiritual, estrela pop-trance e um realizador, actor.

Aesta lista temos de juntar os 16 recordes do “Guiness” pelos quais é responsável através das iniciativas da Dera Sacha, do Maior Mosaico de Vegetais ao Maior Número de Pessoas a Lavar as Mãos e ao de Maior Número de Árvores Plantadas ao Mesmo Tempo em Distintas Localizações e também os seus talentos ao nível de engenharia, agricultura, “chef” e designer: de moda, de revistas, de automóveis, de interiores e paisagens. 

Apresenta-se ainda como jogador de vólei, ténis, cricket, futebol, basquete, pólo aquático, “e muitos outros”, explica o site oficial: em saintgurmeetramrahimsinghjiinsan.org, onde também estão os respectivos certificados do “Guiness” ...

Em resumo, sejamos directos: a dimensão de Guruji é demasiada para este suplemento. Há outro rol de características de Sua Excelência que, considerando a sua legião de seguidores, talvez sejam bem mais relevantes que todas as anteriores: é suspeito de vários crimes, de violação a exploração sexual de seguidoras do culto, dois assassinatos e também de ter forçado 400 homens à castração.

Acumula ainda suspeitas de ligações a grupos extremistas e está sob investigação do Central Bureau of Investigation da Índia. Com toda esta lista de suspeitas não é de estranhar que para onde quer que vá leve um séquito de 16 Ford Endeavours repletos de seguranças.

A Dera Sacha é vista por muitos como uma perigosa seita religiosa, tanto pelo seu alcance em número de fiéis como pelo carácter do líder. Sua Excelência Guruji lidera-a desde Setembro de 1990, tinha então 23 anos, tendo a sua ascensão marcado uma nova etapa do culto criado em 1948 e até então nas mãos de líderes sóbrios.

Com Guruji, o milhão de fiéis antes reclamados cresceu até aos 50 milhões actuais. Nascido numa família sique, Guruji diz que não é praticante de qualquer religião, nomeando como inspiração apenas os métodos de meditação de Param Ji Maharaj, o seu antecessor.

O total de seguidores torna-o também uma personalidade política: nas últimas eleições regionais, o primeiro-ministro Narendra Modi procurou o seu apoio quando visitou Sirsa, local da sede da Dera Sacha. 

Não admira: a qualquer local que vá, Guruji arrasta dezenas de milhares de fiéis/entusiastas. Foi graças a esta capacidade de mobilização que rodou o filme em apenas 67 dias. 

“Um filme desta dimensão demoraria um ano a filmar mas graças ao apoio dos meus adeptos conseguimos erguer os cenários e ter dançarinos-figurantes em número suficiente. Só para uma música, apareceram 76 mil pessoas”, contou o próprio ao “Times ofIndia”.

Mas as coisas não correram tão bem depois das filmagens: a Central Board of Film Certification da Índia recusou aprovar o filme, considerando que o mesmo “promove a fé cega e a superstição”.

A interdição durou pouco: a eclosão de protestos dos fiéis levou ao recuo e um mês depois do previsto o filme estreou-se mas com uma ligeira alteração: agora chama-se “MSG: Messenger”, caindo “of God”.

Além de toda a personagem que Sua Excelência representa e das acusações que pendem sobre si, a Dera Sacha é dona igualmente de uma enorme componente social, apresentando-se como organização não lucrativa e apoiando dezenas de iniciativas ambientais e sociais, da erradicação da prostituição à promoção da higiene, da paz e de um planeta saudável. 

Tem um centro de reabilitação do consumo de droga e de tratamentos do HIV. Reclama ter salvo mais de 1500 (agora) ex-prostitutas e ter arranjado noivos voluntários para todas. O filme é precisamente sobre tudo isto: Guruji a destruir sozinho as forças negras que arrasam a moral da sociedade recorrendo a “milagres”, que, diz o próprio, retratam os factos tal como ocorreram.

O centro nevrálgico da Dera Sacha está a uma viagem de cinco horas de carro de Nova Deli. A sede é composta por quatro edifícios. Um foi construído em formato de coração e abraça os outros três: um em forma de “M”, outro de “S” e o terceiro de “G”.

Leia-se: MSG, a.k.a. Messenger of God, a.k.a. Sua Excelência Hazoor Maharaj Saint Gurmeet Ram Rahim Singh Ji Insan, desenho bem visível no Google Maps nas coordenadas 29°28’03.8”N 75°04’07.0”E.






Nenhum comentário: