sexta-feira, 3 de abril de 2015

Percentagem de cristãos desce ligeiramente no Brasil até 2050


A percentagem de cristãos no Brasil vai descer ligeiramente até 2050, o mesmo acontecendo na Guiné-Bissau e em São Tomé e Príncipe, indica o estudo: 

"O futuro das religiões no mundo: projeções 2010-2050".

O maior país lusófono tinha 88,9% de cristãos em 2010, numa população que ascendia aos 194.950.000 habitantes, e terá 86,4% em 2050, quando os brasileiros serão 223.020.000, prevê o estudo realizado pelo norte-americano Pew Research Center.

Entre os países lusófonos, a percentagem de cristãos desce igualmente na Guiné-Bissau, passando de 19,7% para 16%, e em São Tomé e Príncipe, de 82,2 para 79,6%.

De acordo com o estudo do Pew, a nível mundial, a percentagem de cristãos manter-se-á nos 31,4%, se persistirem as tendências atuais nas próximas quatro décadas.

Também em Angola, em Timor-Leste e na Guiné Equatorial a percentagem de cristãos será a mesma em 2050 do que era em 2010, 90,5%, 99,6% e 88,7% da população, respetivamente.

Em Cabo Verde, calcula-se que haja uma ligeira subida, de 89,1 para 89,7%, enquanto em Moçambique a subida é mais expressiva, de 56,7 para 60,7%, ao mesmo tempo que a população passa de 23.390.000 para 49.000.000 habitantes, o maior aumento entre os países lusófonos.

No caso de Portugal, o estudo prevê uma descida da percentagem de cristãos, de 91,9 para 86,3%, numa população que diminui ao contrário de todos os países referidos, passando de 10.680.000 habitantes em 2010 para os 8.690.000 em 2050.

Segundo o estudo, daqui a quatro décadas o número de muçulmanos em todo o mundo poderá ser quase igual ao de cristãos, com o islão a crescer "mais rápido do que qualquer outra grande religião". Nessa altura, os muçulmanos serão 29,7% da população mundial, contra 23,2% em 2010.

Nos países lusófonos, o islão apenas é maioritário na Guiné-Bissau, país onde o estudo prevê que a percentagem de muçulmanos passe de 45,1 para 48,8% em 2050.

Em Angola (0,2%), Brasil (inferior a 0,1%), Guiné Equatorial (quatro por cento), São Tomé e Príncipe (inferior a 0,1%) e Timor-Leste (0,1%) a percentagem de muçulmanos manter-se-á, diminuindo em Cabo Verde (de 0,1 para menos de 0,1%) e em Moçambique (de 18 para 15,1%).

Em Portugal, os muçulmanos representavam em 2010 0,3% da população e em 2050 serão 1,3%, de acordo com o estudo que reúne dados de 175 países.






Nenhum comentário: