quinta-feira, 7 de maio de 2015

União pela paz: segundo casamento budista é celebrado no Acre


Em entrevista ao Portal Amazônia, a noiva Anne Nascimento fala sobre o Budismo, preconceitos e revela detalhes sobre o casamento.

"Lutar pela paz mundial e pela felicidade das outras pessoas", essa é a proposta do casamento Budista de Nichiren Daishonin. É com essa filosofia que a jornalista, Anne Nascimento, 26 anos, e o repórter cinematográfico, Mateus Alexandre, 27 anos, vão celebrar o amor e a união no segundo casamento budista do Acre. O casal é adepto da religião há pouco mais de um ano. 

Em entrevista ao Portal Amazônia, Anne fala sobre a escolha de ser budista e sobre detalhes do casamento. A jornalista explica que antes de conhecer o Budismo era espírita. "Mesmo sendo filha de pai evangélico e mãe católica nunca sofri julgamentos. Até mesmo do meu noivo que era ateu", disse. 

Mas quando ela conheceu o Budismo, a convite de uma amiga, os pais acharam estranho. “Mas logo eles se acostumaram e respeitaram minha escolha. Minha conversão ao Budismo só me acrescentou, tenho me tornado continuamente uma pessoa melhor”, enfatiza. 

Os noivos seguem uma das linhas do Budismo chamada 'Nichiren Daishonin'. A linha é propagada por uma Organização-não-governamental japonesa chamada Soka Gakkai Internacional (SGI), no Brasil representada pela sigla BSGI, com sede em São Paulo.

As pessoas que seguem a linha do Budismo Nichiren Daishonin não se isolam, não são monges, ou seja, almejam tornam-se pessoas evoluídas para melhorar o mundo e o ambiente ao redor. Segundo a jornalista, todos trabalham, estudam e vivem socialmente como qualquer outra pessoa. “O nosso objetivo é ser feliz e fazer outras pessoas felizes. Acreditamos na revolução do ser humano”, afirma. 

Diante de ser a segundo casal a celebrar a cerimonia budista no Acre, Anne afirma estar feliz. “Estou ansiosa e louca para que chegue a hora do meu casamento. Estou feliz porque vou casar na religião que me sinto muito bem. Espero que o meu casamento atraia mais amor, não só amor entre homem e mulher, mas amor entre o próximo. Vamos celebrar o amor independente de religião”, orgulha-se. 

A noiva espera ainda que através da união pela cerimônia Budista as pessoas possam conhecer mais sobre os princípios da religião. "Tirem esse mito da cabeça de que adoramos um homem gordinho. O budismo é muito amplo. Assim como os católicos e evangélicos estudam a Bíblia, nós também fazemos os nossos estudos através das cartas que Buda nos deixou”, explica.

Budismo no Acre

O Budismo está presente em mais 193 países e territórios e umas das principais em termos de seguidores e influência sociocultural. Apesar de ser uma religião com influencia oriental, tem se tornado cada vez mais comum entre os ocidentais. No Acre, a comunidade Budista tem cerca de 120 membros. A religião possui categorias diferentes e vários ramos como Tendai, Vajrayana, Nichiren, Terra Santa, Zen, Ryobu, entre outros. 

A linha 'Nichiren Daishonin', do Budismo, acredita que o objetivo principal da vida é o amor fraternal e a revolução. Segundo umas das dirigentes do distrito Budista no Acre, Rozária Maia, o objetivo coletivo é propagar uma cultura de paz, enquanto o objetivo individual é revolucionar a condição enquanto pessoa a ser continuamente melhor.

Rozária destaca ainda que o Budismo tem atividades como grupos de orações e estudos, datas comemorativas e palestras mensais, está última é realizada para a explanação de trechos da carta do Buda, as escrituras da religião. “Nossas atividades são participativas todos têm a oportunidade de dialogar e tirar suas dúvidas. Juntos ajudamos uns aos outros na revolução e evolução coletiva e individual”, declarou a dirigente. No Acre, os encontros são realizados na maioria das vezes nas casas dos próprios membros.

Casamento Budista 

O segundo casamento Budista do Acre será no dia 31 de maio. Rozária Maia explica que apesar de ser a segunda cerimônia de união matrimonial da religião existem vários outros casais budistas no Acre, mas que se casaram antem de fazer residência no Estado. 

Rozária é esposa do dirigente central da comunidade Budista no Acre, Luiz Fernado, foi ele quem ministrou o primeiro casamento budista no Estado, há mais de 15 anos. Já o casamento de Anne e Mateus será apresentado por Rozária, mas ministrada por Nelson Costa, membro escolhido pelo casal. 

O formato da cerimônia depende da escolha do casal e os costumes do país, ou seguimento da linha de Budismo. No seguimento budista 'Nichiren Daishonin', conforme Rozária, o casamento é um compromisso que o casal assume com outra pessoa, um juramento feito no dia da cerimônia sem a assinatura de papéis, diferente de um casamento civil. “O compromisso é com outro indivíduo, em respeitar e colaborar com a revolução um do outro”, informou a dirigente. 

A cerimônia dura cerca de 30 minutos, inicia com mantras (cânticos) e orações. Existe troca de alianças conforme o desejo dos noivos, assim como os votos podem ser lidos livremente. Eles podem também seguir os moldes tradicionais e acender velas e incenso. Fazem a troca de taças, um ritual onde trocam de taças três vezes. Os noivos bebem saquê ou outra bebida de preferência na mesma taça o chamado San San kudo. Após a cerimônia, os noivos vão reunir amigos e a família para a tradicional festa.





Nenhum comentário: