terça-feira, 30 de junho de 2015

Em Manaus, evangélicos debatem como transformar religião em lei – Por Alisson Castro


Na 1ª Conferência de Liderança Cristã, hoje, em Manaus, a Ordem dos Ministros Evangélicos do Amazonas (Omeam) pretende debater como transformar em lei questões religiosas. 

“Serão debatidos temas importantes para a nação como família, gênero, interferência do Poder Judiciário em questões que são originalmente do legislativo, como a questão do casamento de pessoas do mesmo sexo. Vamos falar também de economia, desenvolvimento regional e de temas que tem tudo a ver com a população”, disse o deputado federal Silas Câmara (PSD), vinculado à Assembleia de Deus.

Silas explicou que o evento pretende analisar o País a partir de uma ótica cristã. “Tem pessoas que não acreditam em Deus e apresentam uma visão do Brasil e todo mundo respeita e até aplaude. Então, nós resolvemos, como cristãos, independentemente de ser evangélicos ou não, de colocar para população a nossa visão do País”, explicou o parlamentar.

Intitulado de: ‘O Brasil que queremos’, a conferência reunirá, além do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), os senadores Marcelo Crivella (PRB-RJ), da Igreja Universal, e Magno Malta (PR-ES).

Malta argumentou que o momento é de valorizar a família. “A partir da família, tudo. Fora da família, nada. A base de uma sociedade é a família, então a gente tem que lutar para preservar valores de família. É importante lutar contra o aborto, a legalização de drogas, violência, corrupção, defesa de valores das crianças e mulheres”, declarou, ao expor a bandeira político-religiosa.

De acordo com o presidente da Omeam, pastor Sadi Caldas, a conferência não é voltada apenas à comunidade evangélica e contará com a presença de representantes da Igreja Católica. 

“A intenção é ouvir todos os cristãos sobre a nossa conjuntura e falar, por exemplo, sobre família, ideologia de gênero. Queremos contribuir com as instituições a respeito daquilo que os cristãos estão orando, que é uma sociedade de valores, para se valorizar o ser humano”, disse.

O vereador Joelson Silva (PHS), da bancada evangélica da Câmara Municipal de Manaus, disse que a família tradicional será o principal tema do debate. “Se temos uma família bem agregada, bem estruturada, bem saudável, temos também uma sociedade também saudável”, comparou.

Questionado sobre críticas da parte da sociedade de que os evangélicos almejam impor à sociedade sua visão de mundo, o parlamentar afirmou desconhecer estas críticas. 

“Eu acho que nós, evangélicos, apenas defendemos princípios que norteiam nossa formação”, disse. “Eu não vejo que estes princípios, de fortalecimento da família, de combate às drogas, possam causar qualquer constrangimento a qualquer outro grupo social. Nossos princípios são fundamentados em princípios bíblicos”, frisou.

De acordo com o vereador Amauri Colares (PROS), os cristãos estão preocupados com a forma como os princípios cristãos estão sendo debatidos.

Debate religioso

Apesar de contar com a participação de deputados federais e estaduais, além de membros de parlamentos municipais, os organizadores negam que o evento tenha cunho político. 

“Não estamos misturando política e religião, não há uma bandeira. Só para se ter uma ideia, um grupo carismático (ligado à Igreja Católica) já está inscrito para participar. Estudantes universitários também estão inscritos, então, eu acho que é justo e democrático apresentarmos nossa visão de Brasil”, afirmou o deputado Silas Câmara (PSD).

O presidente da Omeam, Sadi Caldas, salientou que a entidade não quer fazer um movimento político. “O nosso objetivo é dar oportunidade às pessoas de conhecer o trabalho que fazemos. Não estamos aqui para fazer movimento político”, disse.

Sobre a força política da bancada evangélica, o vereador Amauri Colares (PROS) afirmou que ainda é cedo para prever movimentação neste sentido. 

“Nossa atuação é para somar, para ajudar a sociedade, mas se tivermos oportunidade de um líder poder ser presidente, prefeito ou governador iremos apoiar. Mas ressalto que este não é o intuito deste evento”, disse.

O senador Magno Malta (PR-ES) afirmou que não se pode separar os homens de seus valores. 

“Eu sou a minha crença e meus valores são cristão. Quem pode me separar de minhas crenças e valores? Os meus valores são cristãos e quando eu vou para a rua, para os esportes e para a política, o que eu levo são os meus valores cristãos. O que tem me levado a ser combativo neste País são os meus valores”, disse, ao admitir que se baseia na religião.







Nenhum comentário: