domingo, 26 de julho de 2015

Além da Fé: “O importante é fazer o bem” - Por Daniela Origuela



Centro Espírita Dr. Luiz Monteiro de Barros assiste moradores de rua e da região do Mercado Municipal de Santos/SP.

Nascida em 1857, a doutrina espírita tem como bandeira a caridade. Para os espíritas, o conhecimento é fundamental e Jesus Cristo é o modelo a ser seguido. Mais importante que a religião é o bem que se faz ao próximo e a si mesmo. E é dessa forma que, há 17 anos, o Centro Espírita Dr. Luiz Monteiro de Barros, em Santos, desenvolve trabalho junto à população de rua e aos moradores da região do Mercado Municipal, uma das áreas mais carentes da Cidade.

“Para nós espíritas Jesus é o modelo que deve ser seguido. Não a pessoa Jesus, mas a sua conduta de Jesus. O espiritismo é eminentemente cristão. A bandeira do espiritismo é a caridade. Não importa se você é espírita, católico, protestante ou ateu. O que importa é o que você pode fazer pelo bem. Pelo seu próprio bem e o bem da sua comunidade e da sociedade”, disse o dentista Caetano De Santis, presidente da entidade.

Fundado em 1998, por membros da Associação Médica Espírita, o Centro Espírita Dr. Luiz Monteiro de Barros está localizado em um amplo prédio construído com doações na Rua Silva Jardim, 1. Tudo começou em uma instalação na Rua Sete de Setembro, onde atualmente fica o bazar responsável por parte da renda da entidade que não conta com o auxílio do poder público e sobrevive com doações, realização de eventos e voluntariado.

A dona de casa Ameli Bude de Souza Paço é uma das voluntárias da instituição. Todas as quintas-feiras ela auxilia na limpeza do salão onde são oferecidos aproximadamente 200 cafés da manhã para moradores de ruas. “Há muitos anos faço trabalho voluntário. Venho de uma família espírita. É muito gratificante saber que o seu trabalho está contribuindo para o bem-estar de alguém. É um trabalho de amor ao próximo”, disse.

O Centro Espírita oferece os cafés da manhã as segundas, terças, quartas, sábados e domingos a partir das 7 horas. As segundas, quartas, quintas e domingos também são servidas gratuitamente aproximadamente 200 refeições no final da tarde. 

Os grupos de voluntários que atuam nesse trabalho são formados por pessoas de diversas religiões. Há evangélicos, espíritas, católicos e ateus. A entidade oferece o espaço aos que promovem o trabalho. Não é necessária a preocupação com gastos de gás, água e energia elétrica. Basta o interesse em ajudar o próximo.

No salão onde são oferecidas as refeições há banheiros com chuveiros e pias. A entidade oferece ao morador de rua a oportunidade de tomar banho e escovar os dentes. A eles são doados sabonetes, escovas e pastas de dente. Em um pequeno quarto, as pessoas em situação de rua também têm acesso a mudas de roupas que são doadas à instituição. Todo o trabalho é organizado por voluntários.

Outro serviço oferecido é de atendimento médico. Uma vez por semana, todas as quintas-feiras, o vice-presidente da entidade, o médico José Nilson Freire, atende gratuitamente as pessoas cadastradas. É o caso da cabelereira aposentada Maria Almeida Rocha. Ela encontrou na instituição a força que precisava para superar a morte do único filho, que faleceu em 2013. 

“É um trabalho social de melhor qualidade. Aqui encontrei o conforto espiritual que precisava para poder superar a dor da perda. Sempre que posso participo das palestras. Fiquei muito doente, com problemas no fígado. Faço tratamento homeopático com ele, um excelente médico e uma ótima pessoa”, afirmou.

Mas não é só isso. O Centro Espírita também oferece gratuitamente curso de informática, atividades voltadas à infância e atendimento realizado por assistentes sociais. Foi em um desses atendimentos que a instituição pode auxiliar a idosa Janette Dorothy Birckoltz, de 73 anos, que está acamada há aproximadamente três meses, após ser acometida por um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e perder o movimento das pernas. A história da moradora da região do Mercado Municipal foi retratada no último dia 19 pelo Diário do Litoral.

“A caridade está alcance de todos nós. Todos nós podemos fazer caridade. Dar um sorriso, ouvir uma pessoa. Não precisa dar dinheiro. Ser uma ponte de ligação de um lado para outro e poder ajudar quem está no meio. O espiritismo vem reviver o que Jesus trouxe e os seus ensinamentos com uma interpretação melhor”, disse De Santis, que concluiu: “Rótulo religioso é para quem precisa. O importante é fazer o bem”.

Mais informações sobre o trabalho desenvolvido pela instituição, doações e voluntariado podem ser obtidas por meio dos telefones (13)3223-5635 e 3223-1638.






Nenhum comentário: