quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Vigília pela Paz reúne representantes de várias religiões e de instituições públicas/PT




A Cáritas Diocesana de Lisboa, em parceria com o Patriarcado e a Câmara Municipal, decidiu organizar uma: 

Vigília pela Paz 

Neste sábado, no Salão Nobre e na Escadaria dos Paços do Concelho, entre as 17h30 e as 19h15.

A iniciativa conta com a presença do cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente, juntamente com representantes de várias religiões e de instituições públicas, para “um apelo em uníssono à Paz Mundial”, assinala um comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA pelo Patriarcado de Lisboa.

A manifestação insere-se na campanha nacional de Natal da Cáritas, ’10 milhões de Estrelas - Um gesto pela paz’“A crise dos refugiados e a crise migratória no geral, sobretudo nas suas causas, têm levado ultimamente a uma maior e repetida afirmação e defesa do valor incondicional da Paz”, refere a nota de imprensa.

A organização do evento denuncia a violência, “à escala mundial”, recordando que “se sucedem alertas para o perigo real de uma guerra mundial”. “Também a uma escala mais regional, a violência de uns contra outros, em casa, na escola, no trabalho, no espaço público é um fenómeno com proporções muito preocupantes”, denuncia a organização católica.

Os promotores da vigília, aberta à participação de todos os que desejarem, sustentam que “o Diálogo, a Justiça e a Paz são valores fundacionais da sustentabilidade de qualquer sociedade, bens de toda a humanidade”. “A violência, o medo, a xenofobia, o racismo não se vence com a violência, o encerramento de fronteiras, a construção de muros, a exclusão, e a indiferença”, prossegue o texto.

Na carta que foi dirigida aos convidados, D. Manuel Clemente afirma que a “sustentabilidade não é possível na ausência de Paz - que é também e necessariamente Justiça para todos”, e que “nunca é demais o apelo à Paz, mesmo que a humanidade, quase por milagre, se encontrasse em todos os cantos do mundo na mais perfeita e pacífica coexistência”.

Ao apelar à Paz, a vigília entende também fazer memória de todas as vítimas mortais da crise dos refugiados. O evento vai contar com um ‘Círio da Luz da Paz’, feito à mão e com mais de 13 anos, que vem de uma fábrica de cera de Cardigos (Beira Baixa), o qual vai ser aceso por uma família de refugiados do Iraque a residir em Lisboa há 6 anos.

Jovens vestidos com as cores dos cinco continentes vão transportar a Luz da Paz para o Hall de entrada dos Paços do Concelho. O Coro de Santo Amaro de Oeiras e Coro Tejo encerram o encontro, nas escadarias dos Paços do Concelho de Lisboa.






Nenhum comentário: