quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Daime é tema do documentário 'Império da Floresta' – Por Amanda Borges

Quatro cineastas de Pernambuco estão no Acre desde dezembro produzindo um documentário sobre a doutrina do Daime, uma das religiões tradicionais da Amazônia, que teve origem no Acre. 

O filme: 'O Império do Floresta' tem 70 minutos e o trabalho faz parte da série 'Terra de Encantaria' que vai abordar religiões brasileiras e será lançado setembro em Pernambuco.

O documentário foca em personagens mostrando dois lados de suas vidas: cotidiano e o momento dentro da religião, que foi criada pelo maranhense Irineu Serra em 1912 e tem como principal doutrina a utilização da bebida produzida a partir da junção do cipó-mariri e da folha chacrona, o chá da ayahuasca, que gera alucinações que dentro do Daime, são chamadas de 'miragens'.

"Estamos querendo mostrar muito o cotidiano das pessoas, que elas têm uma vida material, seu dia a dia, seu ganha pão, suas funções de vida cotidiana e tem também o seu momento de fé, de busca de evolução espiritual", explica André Sampaio, diretor do filme.

A equipe é formada por uma diretora de fotografia, um sonoplasta, diretor, produtor, que juntos vão filmar em mais três estados para abordar religiões pouco conhecidas, como a Terecô no Maranhão, o Maracatu em Pernambuco, e a religião dos índios Zoró, na divisa de Rondônia com o Mato Grosso.

O produtor Tiago Melo conta que o maior desafio é percorrer lugares desconhecidos pela equipe.

"Esses filmes desta série tem o desafio de passar em lugares que, pelo menos eu que sou produtor, nunca estive. Quando a gente está trabalhando com a verdade vai buscando pessoas, parcerias, conhecendo e mostrando a seriedade do projeto, mostrando como a gente trabalha e as portas se abrem justamente por ser uma linha de mão dupla", explica.

A diretora de fotografia, Taís de Andrade diz que os ângulos e foco procuram explorar a seriedade das cerimônias, fugindo da imagem preconceituosa do chá ser algo somente alucinógeno.


"[O documentário] mostra muito o rigor do trabalho do daime, para não parecer justamente que é uma bebida que fica todo mundo doido, está todo mundo ali trabalhando o lado espiritual, com uso religioso. Na fotografia temos planos que mostram esse rigor na cerimônia, as pessoas todas certinhas, todos juntos", finaliza.




Nenhum comentário: