quinta-feira, 24 de abril de 2014

O trabalho de Deus (no Facebook) – Por Viriato Queiroga

Estava eu, numa noite particularmente desocupada, pensando em questões religiosas e o secular confronto com o ateísmo (pun-intended: o confronto é milenar e conta com milhões de mortos, mas suponho que já tenha passado tempo suficiente para se gracejar com isso... 

Digo eu antes de me lembrar das perseguições religiosas nos países árabes e africanos... E americanos... E europeus... 

É melhor o leitor esquecer a existência deste último parêntesis) quando decidi digitar a palavra "God" (Deus, em inglês), na barra de procura do Facebook. Mal pude imaginar eu que havia encontrado uma verdadeira mina de ouro, tanto para os meus pensamentos pseudo filosóficos, como para a minha disposição notívaga.

Sim, caro leitor, falo de uma página que, nos últimos meses, tem conhecido uma expansão extraordinária. A singela página de "God", Deus (que podem consultar aqui: https://www.facebook.com/TheGoodLordAbove?fref=ts). 

Uma página satírica, encarnando Deus, com o objetivo de fazer rir a sua audiência e, simultaneamente, pô-la a pensar com alguma teo e filosofia aplicadas ao dia-a-dia, em conjunção com uma interação com os fãs, nomeadamente com os dias temáticos, promovidas pelo misterioso administrador desta página.

Qual a razão para dedicar o meu precioso espaço destas crónicas a uma simples página de fãs facebookiana, como tantas outras, sobretudo quando esta é capaz de causar tanta comoção por incidir sobre assuntos religiosos? A resposta é simultaneamente simples e complexa.

Esta página surge num contexto em que os EUA sofrem uma pequena mudança, de cariz social, no que aos comportamentos e crenças religiosas (ou falta destas) diz respeito. 

Cada vez mais Ateus e Agnósticos subsistem, e enfrentam, diariamente, os seus pares Religiosos (sobretudo Cristãos), num Mundo competitivo, em termos de atenção mediática, onde temas como o casamento homossexual, o aborto e os direitos das mulheres assumem uma saliência gigantesca. 

Esta saliência tem um efeito: causa uma polarização de posições opinativas tão grande, que os dois grupos extremam as suas posições, o que leva à intolerância. Assim, esta página marca uma viragem de posição face à eterna discussão Religião vs Ateísmo: o criador da mesma, filho de um Pastor americano, assumidamente satiriza a religião Cristã, todavia, e muito curiosamente, não esquece aquilo que define como sendo a pedra basilar desta religião: a difusão do amor, da tolerância e das boas acções.

Esta é uma ação significativa, num momento em que diversas Igrejas americanas (e no resto do Mundo) decidiram tomar ações explícitas anti-casamento homossexual, sendo o maior exemplo disto mesmo, talvez, os boicotes e manifestações levados a cabo pela Westboro Baptist Church, em funerais. "God", uma página criada, inicialmente com o único propósito de satirizar o extremismo religioso e promover a tolerância, subitamente, viu-se envolvida numa batalha: a batalha contra o ataque aos direitos humanos e às liberdades civis (o princípio base, por excelência, da Constituição Americana e das democracias liberais). 

Neste caso específico, promoveu uma campanha contra as ações desta organização, ganhando um cunho ativista: em prol dos direitos LGBT e das próprias liberdades sociais, noutras áreas.

Sucede que a sua popularidade aumentou. Ganhou fãs e, consequentemente, importância social (atualmente, conta com mais de 1 milhão e meio de fãs). E eis que chegamos à parte desta história que considero realmente interessante: encarnando sempre a personagem "Deus", o administrador desta página, através das suas reflexões, opiniões e tomadas de posição cativou todas estas pessoas e estas... Em momentos de aperto pessoal... Pediram-lhe ajuda. 

Quando na periclitante posição de uma pessoa prestes a cometer suicídio, resolveram voltar-se para a figura que lhes pareceu mais próxima do trabalho religioso. God respondeu. E respondeu a diversos pedidos de ajuda. Não só com concelhos e palavras de valorização pessoal e social, mas reencaminhando estas pessoas para as linhas de apoio anti-suicídio e partilhando, com o devido anonimato, estas experiências e concelhos, exprimindo uma constatação que, para o ser humano tem tanta importância: "não estás sozinho".

E este foi um pequeno exemplo. Muitos mais, segundo a própria página e entrevistas realizadas, documentam que o trabalho desta página é realizado com muitos outros pedidos. O que se enquadra com a tese central desta crónica.

Não acreditando eu que Deus (quer o leitor acredite na sua existência, quer não) se encontre envolvido, realmente, na utilização desta página, a realidade exprime que o trabalho preconizado nos mais diversos textos religiosos, mas, sobretudo Cristãos, é de facto realizado pela simples iniciativa da criação de uma página satírica.


Importa, agora, perguntar qual será o futuro desta página, e outras similares, reforçando o potencial das mesmas, na capacidade de ajuda dos seres humanos, através da internet.



Nenhum comentário: