domingo, 25 de maio de 2014

Deputados do PT criam “Frente parlamentar da religião afro-brasileira” - Por Jarbas Aragão

Iniciativa seria um contraponto à bancada evangélica. Católicos e evangélicos estão acostumados a serem representados pelas chamadas “frentes”, grupos políticos com objetivos claros. 

Agora, surge a Frente Parlamentar em Defesa das Comunidades de Terreiro, que representaria os adeptos de diferentes formas da Religião Afro-Brasileira. Ela parece ser um contraponto à “bancada evangélica”.

Sua criação é de autoria dos deputados Érika Kokay (PT-DF), Janete Pietá (PT-SP), Valmir Assunção (PT-BA) e Amauri Teixeira (PT-BA). Eles querem aproveitar a grande polêmica que envolveu a decisão do juiz Eugênio Rosa de Araújo, o qual assegurou que Umbanda e Candomblé não poderiam ser considerados religiões.

Mesmo tendo voltado atrás, o juiz manteve a decisão de que os vídeos de igrejas evangélicas postados no Youtube não devem ser retirados do ar. 

O material mostra ex-adeptos da umbanda e candomblé, agora convertidos, ligando essas práticas religiosas à espíritos malignos. A ação do Ministério Público contra os vídeos alegava que eles promoviam a intolerância religiosa e ferem direitos constitucionais.

“Existem vídeos em que determinados pastores até pregam a morte dos sacerdotes africanos. Esses vídeos incentivam as pessoas a violarem nossas casas, a perseguirem nossos filhos, a nos perseguirem. Nós sofremos todo tipo de violência, e a Justiça tem se omitido”, questiona o líder de terrreiro Alexandre de Oxalá.

A deputada petista Erika Kokay afirmou que vai recorrer. Ela informou que a Comissão de Direitos Humanos da Câmara vai conversar com a Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça. 

“A religião é a forma com que você dialoga com o divino. Nós não podemos utilizar um aspecto do Estado ou uma condição do Estado para institucionalizar uma discriminação, negando a religiosidade”, acredita.


Caso consigam se mobilizar e conseguir o mínimo de assinaturas necessários, a instalação da frente, deve ocorrer em ato marcado para o dia 27 de maio. Com informações Agência Câmara e Poder Online.



Nenhum comentário: