domingo, 7 de setembro de 2014

Há um #IceBucketChallenge árabe contra o Estado Islâmico - Por Inês Alberti

O #BurnIsisFlagChallenge começou no Líbano em protesto contra as práticas e os ideais dos jihadistas e está a crescer no resto do Médio Oriente.

Jovens árabes criaram uma versão do #IceBucketChallenge (os famosos banhos com água gelada) com um motivo bastante diferente: contestar os actos do Estado Islâmico, sublinhando que os muçulmanos não apoiam os jihadistas.

O #BurnIsisFlagChallenge consiste em queimar a bandeira do Estado Islâmico e nomear amigos, comunidades ou até o "mundo inteiro" para fazerem o mesmo, como protesto. 

A tendência terá começado no Líbano quando três jovens queimaram o símbolo negro dos jihadistas numa praça em Beirute, como forma de protesto contra uma alegada decapitação de um oficial libanês pelo grupo extremista.

Os jovens filmaram o acto e publicaram o vídeo nas redes sociais com a "hashtag" (etiqueta) #BurnIsisFlagChallenge, encorajando outros a fazerem o mesmo. 

Um outro cidadão libanês publicou no YouTube um vídeo em que fazia o mesmo e desafiava "o mundo inteiro" a aderir ao desafio.

O movimento já mereceu a atenção do Governo libanês. O ministro da Justiça do Líbano, país onde a tendência é mais forte, acusou o desafio de insultar o Islão, já que a bandeira preta do Estado Islâmico, apesar de tudo, contém símbolos religiosos. 


Em defesa dos jovens, um membro do grupo parlamentar da Reforma e da Mudança daquele país disse: "Os jovens que queimaram a bandeira do ISIS não quiseram insultar a religião islâmica". E acrescentou: "a bandeira não representa o Islão minimamente".



Nenhum comentário: