quinta-feira, 18 de junho de 2015

Em nome de todos os brasileiros: primaz da IEAB pede perdão a Kailane


Menina de apenas 11 anos é apedrejada na cabeça por evangélicos e diz que está com medo de morrer: “Continuo na religião, nunca vou deixá-la. É a minha fé. Mas não saio mais de branco”.

A menina, iniciada no Candomblé há quatro meses, seguia com parentes e irmãos de santo para um centro espiritualista na Vila da Penha, no Rio de Janeiro, quando foi atingida na cabeça por uma pedra, atirada, segundo testemunhas, por um grupo de evangélicos. Ainda segundo os relatos, momentos antes, eles xingaram os adeptos da religião de matriz africana.

“Eles gritaram: ‘Sai Satanás, queima! Vocês vão para o inferno’. Mas nós não demos importância. Logo depois, o pedregulho atingiu minha neta e, enquanto fomos socorrê-la, eles fugiram em um ônibus”, contou a avó da menina, Kathia Coelho Maria Eduardo, de 53 anos, conhecida na religião como Vó Kathi.

Passado o susto e em nome de todos os brasileiros de bem, o primaz da IEAB, Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Francisco de Assis da Silva, pede perdão a Kailane. “Não impute esta responsabilidade ao Cristo, pois Ele nunca mandou ninguém agir assim”, afirma.

Leia a íntegra:

Perdão, Kailane!

Perdão pelas sombras daqueles que agrediram você por causa da sua fé. Perdão, Kailane, porque neste país que se diz tão inclusivo, existem pessoas que se incomodam com as pessoas que vivem alegremente com sua religião.

Perdão, menina de Deus, porque a luz que você irradia incomoda aqueles que odeiam ver pessoas felizes consigo mesmas. Você e tantas outras pessoas têm sido desrespeitadas na sua dignidade de seres preciosos aos olhos da Divindade.

Não impute esta responsabilidade ao Cristo, pois Ele nunca mandou ninguém agir assim. A fé é um elo indestrutível aos que desejam se manter ligados com o Amor e com o Bem.

Kailane, continue firme na sua fé! Jamais deixe que as sombras te façam olhar teus agressores com ódio, mas entrega eles à Luz, para que se envergonhe dos seus atos.

Perdão, Kailane, porque o ódio religioso tem sido estimulado pelos fundamentalistas como resposta à fraqueza deles mesmos, à falta da experiência profunda com o Deus que afirmam conhecer.

Orgulhe-se de ser uma filha querida da Luz! E que as bênçãos de todos os seres iluminados sejam contigo!

Perdão, uma vez mais!

 Francisco de Assis da Silva - Primaz da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil





Nenhum comentário: