quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Irlanda quer mais 230 milhões da Igreja Católica para vítimas de abusos

O Governo irlandês pretende que as ordens católicas implicadas nos casos de abuso sexual contra menores aumentem em 230 milhões de euros a sua comparticipação nas indenizações às vítimas, igualando o valor que terá de ser pago pelo Estado.

Segundo informa hoje o diário The Irish Times na sua página na internet, o ministro irlandês da Educação, Ruairi Quinn, levou a questão ao Governo de coligação entre conservadores e trabalhadores, para que o assunto esteja resolvido até final de abril.

Quinn enviou recentemente uma carta às 18 ordens católicas assinaladas pelas autoridades para pedir um aumento da sua comparticipação nas indenizações, mas a resposta foi "decepcionante", disse um porta-voz do ministro.

O titular da pasta de Educação deverá endurecer a sua posição, sobretudo depois de o Parlamento irlandês ter aprovado, por unanimidade, em 2009, uma proposta que pede mais ajuda à Igreja Católica irlandesa.

Até ao momento, as 18 congregações juntaram 500 milhões de euros, em dinheiro e em bens imóveis, mas o Governo de Dublin considera que a cifra deve chegar aos 730 milhões de euros.

Esse valor representaria metade dos 1.460 milhões de euros que o Estado irlandês aceitou pagar a milhares de vítimas de abusos sexuais por parte de responsáveis da igreja católica. 

Segundo informação da Junta das Indenizações, que coordena o ressarcimento das vítimas, até finais de 2012 tinham sido pagos 1.069 milhões de euros, faltando tramitar 485 casos denunciados.

O Governo irlandês depende da boa vontade das ordens religiosas, reconhecendo que carece de instrumentos legais para obrigar a igreja católica a pagar mais indemnizações às vítimas de abusos. A Junta foi criada em 2002, quando o Governo de então estimou que o total das indenizações a pagar ultrapassaria os 300 milhões de euros.



Nenhum comentário: