sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Representantes de diferentes religiões reúnem-se para homenagear centenário do fundador da UFSM – Por Mariana Flores


Na UFSM, 2015 será repleto de homenagens ao seu fundador e primeiro reitor, José Mariano da Rocha Filho, que na quinta-feira (12/02) completaria cem anos. 

O primeiro evento comemorativo deste marco importante para a universidade ocorreu na manhã do dia do centenário, em um ato multirreligioso realizado no hall da reitoria. 

A cerimônia reuniu muitos familiares e amigos de Mariano da Rocha, além de representantes religiosos de diferentes denominações e pessoas que admiram o seu legado para a história de Santa Maria e tudo o que ele fez pela educação da cidade, do estado e do país como um todo.

O ato multirreligioso contou com a presença de seus filhos e de sua viúva, Maria Zulmira Mariano da Rocha, bem como de amigos e outras pessoas que fizeram parte da trajetória do fundador da UFSM, incluindo ainda os atuais reitor e vice-reitor da UFSM, Paulo Afonso Burmann e Paulo Bayard Dias Gonçalves.

Os convidados foram recebidos com louvores e, após a apresentação dos representantes religiosos convidados, houve um momento de orações e palavras ao homenageado. 

Primeiramente, Neessim Samara, representante muçulmano, agradeceu aos organizadores e à instituição por promover um ato multirreligioso, que proporciona uma aproximação tolerante de celebração, paz e união das pessoas. 

Na sequência, ele proferiu algumas palavras sobre a importância de uma pessoa como José Mariano da Rocha Filho e sobre seus feitos representativos. “Deus ilumina nosso caminho para fazermos o bem”, reforça.

Em um segundo momento, o arcebispo Dom Hélio Adelar Rubert também fez seus agradecimentos e considerações sobre a importância desse ato, que reuniu várias pessoas de religiões diferentes, mas que celebraram de forma harmoniosa a vida de uma pessoa que foi muito religiosa durante a sua vida inteira e contribuiu muito para que a mensagem de tolerância e paz fosse passada para quem fez parte de sua caminhada. Nesta ocasião, houve um momento de fé e orações com a participação do público presente.

Por fim, o representante judeu, Sérgio Klinow Carvalho, ressaltou a importância de todas as religiões coexistirem em harmonia, para levar a mensagem de paz a todos. Foi proporcionado ainda um momento de canto e agradecimentos finais. 

“Pensamentos divergentes não nos fazem inimigos, pelo contrário, eles só nos fazem engrandecer como pessoas”, frisou.

Após o ato religioso, os filhos do reitor fundador fizeram suas homenagens e relembraram ensinamentos passados pelo pai. Eugenia Maria Mariano da Rocha Barichello, filha do ex-reitor, relatou que a homenagem foi um evento muito importante para ela e para a família, agradecendo a presença de todos ao final. 

“O meu pai certamente estaria muito orgulhoso de ver como está essa universidade”, afirma.

Professora do Departamento de Ciências da Comunicação da UFSM, Eugenia lembra que seu pai realizava atos multirreligiosos e, apesar de seguir a religião católica, sempre gostou desses eventos. A cerimônia foi finalizada com uma apresentação musical do tenor Cesare Barichello.


Mariana Flores, acadêmica de Jornalismo e bolsista da Agência de Notícias




Nenhum comentário: