sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Igrejas arrecadam mais de 20 bilhões por ano, diz jornal - Por Leiliane Roberta Lopes

De acordo com dados da Receita Federal, informados através da Lei de Acesso à Informação, as igrejas católica e evangélica arrecadam juntas R$ 20,6 bilhões em 2011.

São R$ 39,1 milhão arrecadado por dia, como mostra o jornal “O Diário de São Paulo” que entrevistou membros da Igreja Sara Nossa Terra que são fiéis ao dízimo.

A igreja liderada pelo bispo Robson Rodovalho foi escolhida pela reportagem por ser a denominação com maior número de fiéis com ensino superior. A informação contesta a crença popular de que apenas as pessoas sem instrução aceitam doar 10% de seus ganhos para financiar os trabalhos das igrejas.

Entre os entrevistados pela reportagem está o médico Romeu Nunes que afirma que entregar o dízimo “dá resultado”. “Posso dizer que prosperei e aumentei meu patrimônio em pelo menos seis vezes depois que passei a contribuir com a igreja”, testemunha.

A juíza do trabalho Vanessa de Almeida Vignoli também frequenta a Sara Nossa Terra e aceitou comentar sobre a prática de dizimar. “Faço essa doação até como proteção da minha vida financeira.”

Formada em Direito, Vanessa diz que foi através do dízimo que conseguiu fazer mestrado e passar no concurso público para o cargo de juíza. “Depois que entrei na igreja, consegui passar no mestrado da USP, na primeira fase do concurso para juíza do trabalho e trabalhei nos melhores escritórios.”

Até mesmo que não trabalha na área de formação consegue contar uma benção alcançada pela fidelidade do dízimo. O empresário Carlos Eduardo Caporal, formado em odontologia, afirma que a fé e o dízimo fez com que ele superasse as dificuldades financeiras.

“Fiquei viúvo, com duas filhas e dificuldades financeiras. Quem me ajudou em todos os sentidos foi a igreja. Naquele momento, entendi a importância do dizimo e nunca mais deixei de contribuir”, afirmou.

Dos 20,6 bilhões de reais arrecadados em 2011, R$ 10,8 bilhões vieram de ofertas (chamadas de doações voluntárias), R$ 3,47 bilhões do dízimo, R$ 3 bilhões pela venda de bens e serviços e R$ 460 milhões de rendimentos em ações e aplicações.

Ao contrário de alguns países da Europa, no Brasil o Estado não patrocina instituições religiosas. Todos os recursos para sustentar os templos vêm de doação dos fiéis. Porém as igrejas são isentas de pagar alguns impostos.





Nenhum comentário: