quinta-feira, 2 de abril de 2015

Estudante diz que foi expulso de Fórum por não tirar adereço do candomblé


No local havia aviso proibindo a permanência trajando acessórios como boné. Jovem alegou que eketê faz parte de indumentária religiosa, mas nada adiantou.

O estudante universitário Herácliton dos Santos Barbosa, de 20 anos, foi impedido de entrar no Fórum Odilon Santos, em Santo Amaro da Purificação (BA), porque estava com um eketê, um gorro litúrgico usado por homens que seguem algumas religiões de matriz africana. 

Herácliton contou que foi até o Fórum no dia 17 de março para abrir firma e autenticar declarações para o contrato de locação de um imóvel. Mas foi impedido de entrar. 

“Ao chegar ao Fórum, fui notificado pelo porteiro de que eu tinha que retirar o meu gorro, que é um adereço litúrgico. Vi que existia um aviso em uma placa vermelha, informando que era proibida a entrada no local usando blusa, camiseta, saia, short e boné”, contou o estudante. 

“Informei para ele que iria tirar o meu eketê para mostrá-lo que não tinha nenhuma arma, droga ou câmera escondida, mas que o gorro fazia parte da indumentária da minha religião e que por isso eu não permaneceria sem ele.” 

Mas de nada adiantou a explicação de Herácliton. Orientado pela juíza Elque Figueiredo, um policial expulsou o estudante, segundo relato do próprio Herácliton. “Nesse instante, pedi para falar com a juíza que havia emitido a ordem para saber dela o porquê de eu não poder ficar no Fórum usando meu eketê, e para explicar a ela o significado do uso do gorro na minha religião”, disse. 

Foi quando, segundo o jovem, o policial puxou o gorro de sua cabeça e o pegou pelos braços e pelo pescoço. “Ele saiu me arrastando”. 


Procurada para comentar a denúncia, a juíza Elque Figueiredo, diretora do Fórum Odilon Santos, não foi encontrada. Barbosa registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Santo Amaro. Ele protocolou também denúncia na Corregedoria do Tribunal de Justiça.




Nenhum comentário: